Projeto prevê a instalação de duas termelétricas na Fazenda Boa Esperança, no Terminal de Cabiúnas (TECAB), em Macaé

Projetos de implantação de duas novas termelétricas serão apresentados na terça-feira (16), no Centro de Convenções

Na próxima terça-feira (16) projetos de implantação de duas novas usinas termelétricas em Macaé serão apresentados em audiência pública, realizada pelo IBAMA a GPE – Global Participações em Energia SA, no Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho, às 19 horas.

O licenciamento das unidades Jaci e Tupã consolida a Capital Nacional do Petróleo como polo nacional de produção de energia, transformando o gás processado pelo Terminal Cabiúnas, da Petrobras, em combustível para o novo ciclo de desenvolvimento econômico já encarado pela cidade.

“Todos os indicadores, análises e perspectivas apontam que o gás natural será a fonte de uma nova fase de prosperidade para Macaé. Acompanhamos o andamento desses projetos e acreditamos que a instalação dessas usinas termelétricas criam em nossa cidade um potencial de produção de energia não visto em outras cidades do país”, analisa o secretário de Ambiente de Desenvolvimento Econômico da prefeitura de Macaé, Gerson Martins.

Segundo Gerson Martins, dentro dos próximos cinco anos, Macaé deverá abrigar nove usinas termelétricas que produzirão energia através do gás natural processado em Cabiúnas. Hoje a cidade já conta com duas, a UTE Mário Lago e a EDF Norte Fluminense.

“Temos atualmente a construção da termelétrica Marlim Azul, através de um consórcio que possui a Shell como uma das empresas investidoras. Outras duas unidades já estão licenciadas, com participação em leilões realizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Acompanharemos agora a audiência pública sobre esses dois novos projetos e existe mais um em fase de estudos”, aponta o secretário.

Atualmente, Macaé já possui dados concretos que revelam o surgimento de um novo ciclo virtuoso. Na última quarta-feira (11) ganhou repercussão o estudo da “Urban Systems”, que analisa dados socioeconômicos das principais cidades do país.

No ranking apresentado pelo estudo, Macaé subiu quatro posições, ocupando atualmente a posição 17 a nível nacional, e a terceira colocação no Estado, abaixo apenas de Niterói e Rio de Janeiro. “A cidade entra definitivamente em uma nova fase positiva, que estimulará todos os setores da nossa economia, através da força do petróleo e do gás. No entanto, o grande resultado deste novo momento ainda será a geração de novos postos de trabalho, devolvendo à nossa população oportunidades perdidas durante o período da crise”, aponta Gerson.

Projeto

O projeto prevê a instalação das duas termelétricas que operarão exclusivamente a gás natural em uma área de 315 mil m² da Fazenda Boa Esperança, confrontando com as instalações do Terminal de Cabiúnas (TECAB), situado na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106) no Polo Industrial de Cabiúnas em Macaé, e que fornecerá o gás para o funcionamento das duas usinas.

A capacidade instalada das duas usinas, juntas, somam 2.180 MW – 330 MW para a UTE Jaci e 1.850 MW para a UTE Tupã. Elas serão compostas por 16 moto-geradores a gás e uma turbina a vapor, no caso da UTE Jaci; três turbinas a gás e uma turbina a vapor, no caso da UTE Tupã, ambas em ciclo combinado. As áreas ocupadas pelas usinas serão de aproximadamente 130.000 m² e 50.000 m² para as usinas Tupã e Jaci, respectivamente.

A conexão elétrica está prevista para ser feita junto à termelétrica Macaé Merchant, distante 15 km. O consumo de água previsto é de aproximadamente 1.850 m³/h para a usina Tupã e 180 m³/h para a usina Jaci, sendo a água captada do Rio Macaé, distante 10 km do local das novas usinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here