Além dos restaurantes da orla do Cavaleiros, comércios na área central também permanecem fechados - Cristian Kupfer

Cenário da Orla da Praia dos Cavaleiros, conhecida por sua variedade de restaurantes e bares, está atípico, ultimamente

Estabelecimentos comerciais seguem fechados, em Macaé, como forma de coibir a disseminação do novo Coronavírus no município. A exceção se dá apenas para aqueles considerados essenciais: farmácias, supermercados, postos de combustíveis, padarias e unidades de saúde. Pontos alimentícios como restaurante, bares e trailers só podem funcionar como delivery.

O cenário da Orla da Praia dos Cavaleiros, conhecida por sua variedade de restaurantes e bares, está atípico, ultimamente. Um dos locais mais movimentados da cidade está ermo. O Polo Gastronômico, que movimenta a economia na cidade, está com a maioria dos seus estabelecimentos associados de portas fechadas, alguns ainda funcionam através de delivery, conforme exige o Decreto Municipal, 37/2020.

O documento assinado pelo prefeito, no dia 20 de março, suspendeu o funcionamento de shoppings centers, centros comerciais e estabelecimentos do gênero. A medida não se aplica a supermercados, mercados, postos de combustíveis, farmácias e serviços de saúde (como hospitais, clínicas e laboratórios). ”

Determino a suspensão do funcionamento de shoppings centers, centros comerciais e estabelecimentos congêneres”, rege o decreto.

Antes mesmo do decreto ser publicado, alguns restaurantes da orla por precaução e prezando pela saúde dos seus colaboradores e clientes, fechou o estabelecimento e deu férias coletiva aos funcionários, como é o caso do restaurante Ô Zé da Gastronomia, que decidiu dá ferias para os 18 funcionários.

A casa, que também trabalha com locação de espaço para festas, adiou os eventos de casamento e aniversários, que estavam agendados para março e abril. Segundo o empresário, Vitor Neves, a agenda de eventos para este período estava cheia.

O restaurante faz parte de uma rede que soma 74 colaboradores, alguns receberam férias coletivas, outros estão aguardando a quarentena em casa de forma remunerada.

“Entendemos a necessidade do isolamento para combater a disseminação do Covid-19. Estamos fazendo a nossa parte para que o município continue sem registros confirmados do caso, pois o momento é crítico, já que no Estado, até agora, foram contabilizados 370 casos confirmados e 08 óbitos. O importante é que, depois dessa fase de isolamento, munícipes e turistas dêem preferência aos pequenos e médios negócios, além de prestigiarem os estabelecimentos locais, aqueles que tem vínculo com a cidade. Só assim, o impacto na economia será amenizada e os empregos poderão ser mantidos”, concluiu o empresário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here