A data foi escolhida em homenagem a Monteiro Lobato, escritor que dedicou-se à literatura infantil no Brasil

Escritora Ana Paula Filgueiras e a Professora Sandra Matsumura consideram que a família possui importância decisiva ao criar condições para o hábito da leitura

Na última quarta-feira (18) comemorou-se o Dia Nacional do Livro Infantil. A data é uma homenagem a Monteiro Lobato, grande autor brasileiro que teve grande êxito com seus livros infantis. A data, segundo dados históricos, foi instituída em abril de 2002 e o dia 18 de abril é o dia do seu nascimento.

Nesta reportagem a escritora de Carapebus, Ana Paula Souza Filgueiras e a Professora da FeMASS, da Salesiana e Fafima, Sandra Matsumura falam da importância do incentivo ao hábito da leitura desde os primeiros aninhos de vida.

Ana Paula ressalta que vê a importância da leitura na educação como um portal que conecta a criança à magia das letras, ampliando a sua visão como leitor das obras e do mundo e permitindo que ela cresça sabendo enxergar o mundo da fantasia, mas que o olhe de forma crítica nos ambientes que as cercam.

“E o papel do professor e da família vêm justamente para criar condições para que a criança seja estimulada em sua imaginação, se desenvolvendo cada vez mais, ampliando seu vocabulário, postura, se comunicando melhor e amadurencendo a partir destes incentivos. Isso é fundamental para que ela não narre apenas as histórias, mas que seja protagonista neste processo”, disse a escritora.

Ana Paula é autora do livro infantojuvenil “UMA VIAGEM AO MUNDO DOS VERSOS E DAS LETRAS” e ressalta que a obra tem sido trabalhada em salas de aulas da região desde o seu lançamento em 2016. Ela conta ainda que durante a Feira de Responsabilidade Social e Empresarial da Bacia de Campos que acontecerá de 19 a 21 de junho de 2018, na Cidade Universitária em Macaé, professores, psicopedagogos, pais de alunos e diretores da Rede Publica e particular de ensino de Carapebus, Macaé e Quissamã, irão falar sobre as possibilidades de trabalhar o livro de poesias infantojuvenil (2ª edição) de forma diversificada, contextualizada, inclusiva e dando ênfase à Base Comum Curricular.

“O grupo chama este momento de “conversa no mundo dos versos e das letras”, disse Anna Paula lembrando que a segunda edição da obra será lançada na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo – 2018, no dia 08/08/18, de 15h às 17h”.

Já a Professora de Língua Portuguesa, Sandra Matsumura pontua que o incentivo desde cedo à leitura é essencial para a formação de bons leitores no futuro. “E por que precisamos tanto de bons leitores? Para formar cidadãos críticos que possam refletir e agir sobre sua realidade”, disse.

A docente ressalta ainda que muitos pensam que o incentivo à leitura é papel exclusivo da escola. “No entanto, a família possui importância decisiva ao criar condições para o hábito da leitura e para o gosto pela leitura. Se estimulada desde cedo, a criança terá todas as possibilidades para criar e aperfeiçoar suas competências comunicativas, tanto na fala quanto na escrita”, enfatiza.

Vale lembrar que a história de Monteiro Lobato – o escritor que deu origem ao Dia Nacional do Livro Infantil – começa com a criação da história “A Menina do Nariz Arrebitado”, que foi grande sucesso na época e como continuidade, surgiu o maior sucesso da literatura infantil “O Sítio do Picapau Amarelo”, transformado em seriado de televisão nos anos 80 e regravado no final dos anos 90.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here