Divulgação

Lideranças rejeitam estratégias que visam utilizar pandemia como escalada por votos em Macaé

Enquanto o governo municipal e a sociedade se mobilizam para reforçar a única estratégia capaz de combater a disseminação do Coronavírus: a conscientização sobre a “auto-quarentena”, personagens coadjuvantes do cenário político da cidade tentam ganhar protagonismo, em uma busca equivocada, e até arriscada, por aceitação da opinião pública e votos.

No momento em que as autoridades em Saúde da cidade, e parte estratégica da gestão municipal, utilizam suas forças, e especialmente a sua influência, para alertar a população sobre o riscos que as aglomerações provocam ao contágio massivo do vírus, há político que tenta utilizar a apreensão das pessoas, como palanque para discutir ideias que visam mais ganhar visualizações e curtidas, ao estabelecer ações efetivas de proteção ao contágio.

O ‘oportunismo eleitoral’ ganhou destaque nos bastidores e sessão da Câmara de Vereadores nesta terça-feira (17). Palco de quem tenta usurpar os avanços alcançados pelo governo na construção de um cinturão de proteção da população macaense contra o coronavírus, o plenário do Legislativo, realizado hoje com plateia aberta, se distancia cada vez mais da realidade das ruas, que já vive a preocupação quanto o aumento dos casos de contaminação da doença.

“Não há nada mais velho do que colocar o processo eleitoral a frente dos interesses da cidade. O governo se mobiliza para salvar a vida das pessoas, e conscientizar a população de que o coronavírus exige de todos nós uma conduta nova, de se preocupar com o outro. Quem não é capaz de entender isso, não tem a verdadeira noção do que é ser um representante para a sociedade”, afirma o secretário municipal de Relações Institucionais, Leonardo Gomes, que voltou a defender nesta semana a paralisação do Calendário Eleitoral.

“Os esforços do poder público, em todas as esferas, precisam estar concentrados no atendimento a população. Isso para nós é prioritário”, disse.

Por ter o mesmo berço das “Fake News” que ameaçam a lisura e a transparência das eleições neste ano, o “oportunismo eleitoral” foi identificado e até rejeitado nas redes sociais, campo amplamente utilizado como ferramenta de manipulação de milhares de perfis consumidores de notícias de Macaé, muitas vezes alarmantes e sensacionalistas.

Ambiente responsável também pela criação de um perfil falso da conta pessoal do prefeito Dr. Aluízio no Twitter, as redes sociais em Macaé são utilizadas por uma mesma quadrilha virtual que segue por trás das “Fake News” e do “oportunismo eleitoral”, práticas que só ajudam a aumentar a ficha já identificada pela Justiça e que começa a ser conhecida pela população.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here