Daqui pra frente o novo delegado de Macaé, Márcio Caldas, terá a missão de estancar a criminalidade na cidade - Arquivo pessoal

Márcio Caldas Dias Melo estava à frente da 144ª de Bom Jesus de Itabapoana e comenta novas ações em combate ao tráfico de drogas

Os índices de criminalidade em Macaé crescem a cada ano e entre eles estão os homicídios, tentativas de assassinatos, roubos, furtos, tráfico de drogas e disputa entre facção criminosa, e a partir então, cabe a Polícia Civil investigar e elucidar os crimes.

Desde o início da semana, o novo delegado de Macaé, Márcio Caldas assumiu a titularidade da 123ª DP e tem grandes desafios pela frente.

Ele afirma que o trabalho será em conjunto e parcerias com outras autoridades de segurança pública visando o combate ao criminalidade.

Márcio Caldas esteve à frente da 144ª DP de Bom Jesus de Itabapoana, também no Norte Fluminense.

“A taxa de criminalidade da 144ª DP é muito menor em comparação com a 123ª DP, visto que o número de habitantes é de uma cidade para outra é considerável, sendo assim, cresce a estatística de delitos, tráfico e homicídios”, disse Caldas.

Quem esteve à frente da delegacia de Macaé desde o dia 22 de abril, foi o delegado Evaristo Magalhães. Durante os cinco meses ele acompanhou diversos casos de homicídios motivados pelo tráfico de drogas e até mesmo o estupro de uma menina de seis anos, cujo o autor do crime é um idoso de 66 anos, companheira da mãe da criança, onde foi preso em flagrante.

Mas a violência não para na Capital Nacional do Petróleo. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio, os índices dispararam no acumulado de 2020, mesmo com o isolamento social, em comparação com o mesmo período do ano passado.

De janeiro a agosto de 2019 foram registrados 63 homicídios contra 80 este ano, um aumento de 27%. As tentativas de homicídios também deram um salto de 55 em 2019, para 111 em 2020, uma alta de 101%.

O número de desaparecimentos de pessoas também aumentou na comparação no ano passado foram 32 e este ano, até agosto, foram 35, um crescimento de 3%.

No acumulado do ano apenas o roubo a pedestres apresentou queda. De janeiro a agosto de 2019 foram 485 contra 278 no mesmo período deste ano, uma redução de 42%, mas o número ainda é alto.

Diante de vários confrontos entre facções criminosas que disputam território, as autoridades de segurança pública são desafiadas a criar um plano estratégico para coibir e estancar o índice de violência. Daqui pra frente o novo delegado de Macaé, Márcio Caldas, terá essa missão.

A cidade é marcada pelo tráfico e consequentemente homicídios e tentativas, assim como os assaltos e arrombamentos a estabelecimentos comerciais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here