MBA no exterior aumenta remuneração

261

Segundo pesquisa, salário pode aumentar em até 110%

 

Um currículo diferenciado, qualidade de vida e alta empregabilidade são alguns dos motivos que levam estudantes a procurar universidades estrangeiras para fazer uma especialização. Entretanto, a razão que mais pesa nessa decisão, é o salário. Segundo o ranking global da revista Financial Times (2018) – referência mundial no assunto – a remuneração pode aumentar em até 110% depois de um MBA nas faculdades de Administração mais prestigiadas do mundo.

O alto custo é o grande problema de cursar um MBA no exterior. Na escolas de prestígio, dois anos de estudo fora podem sair por mais de R$200 mil e chegar a R$ 400 mil, dependendo da moeda do país. Por conta disso, investir em um MBA no Brasil pode baratear o programa. E ainda de acordo com o ranking da revista, o programa internacional da Fundação Getúlio Vargas (FGV), One MBA, pode aumentar a remuneração em 60%. No Brasil apenas duas universidades entraram no ranking: FGV (44º posição) e a filial brasileira da Katz University (52º).

O custo do MBA não é a única diferença entre o Brasil e o exterior. Nos Estados Unidos e na Europa, a maior parte dos MBAs são full-time, com tempo integral e duração de um a dois anos. Lá, os estudantes costumam se dedicar somente ao curso. Aqui, o cenário é bem diferente. Os alunos precisam conciliar vida pessoal, trabalho e estudo – e não é fácil abrir mão de alguma dessas possibilidades.

Com um mercado de trabalho competitivo, jovens e profissionais buscam caminhos que os diferencie dos demais. Como alternativa para os brasileiros que não possuem condições de arcar com os custos de uma especialização em outro país, existe o Educa Mais Brasil, programa de inclusão educacional que oferta bolsas de estudo para várias modalidades de ensino. Com o programa, é possível encontrar descontos de até 50% para o MBA e outros tipos de especializações.

MBA no exterior aumenta remuneração

Confira opções de estudo oferecidas pelas instituições de outros países, confira:

  1. Bolsas para mestrado em comunicação digital na Áustria, Dinamarca e Bélgica

Inscrições até 30 de novembro

https://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/bolsas-para-mestrado-em-comunicacao-digital-erasmus/

  1. Unesco e governo japonês dão bolsas para pesquisa no exterior

Inscrições até 30 de novembro

http://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/unesco-e-governo-japones-dao-bolsas-para-pesquisa-no-exterior/

  1. Eu-HEM: bolsa para mestrado na área da saúde na Itália e outros países

Inscrições até 1 de dezembro

https://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/bolsa-para-mestrado-na-area-da-saude-italia-erasmus/

  1. Reach Cambridge: Concurso de redação dá bolsa para curso de verão na Inglaterra

Inscrições até 1 de dezembro

https://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/bolsa-para-curso-de-verao-na-inglaterra-cambridge/

  1. EMCL+: Bolsas para mestrado em linguística na Europa do programa Erasmus

Inscrições até 1 de dezembro

https://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/emcl-bolsas-para-mestrado-em-linguistica-na-europa-erasmus/

  1. Bolsas para mestrado na Holanda na universidade de Delft recebem inscrições

Inscrições até 1 de dezembro

https://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/bolsas-para-mestrado-na-holanda-universidade-delft/

  1. DAAD tem bolsa para mestrado em economia agrícola na Alemanha

Inscrições até 1 de dezembro

https://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/daad-tem-bolsa-para-mestrado-em-economia-agricola-na-alemanha/

  1. Bolsas de estudo na Nova Zelândia para graduação e mestrado

Inscrições até 1 de dezembro

http://partiuintercambio.org/bolsas-de-estudo/bolsas-de-estudo-na-nova-zelandia-para-latino-americanos/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here