Um passo a frente nas transformações que o mercado offshore brasileiro encara nos últimos anos, Macaé se consolida como a verdadeira “Cidade do Gás e da Energia”, ao financiar projetos e viabilizar experimentos que prometem alavancar a base da economia regional e estadual.

Através de mais um passo importante na consolidação do Terminal Portuário (Tepor), após a publicação da licença prévia aprovada pelo Conselho Estadual de Controle Ambiental (CECA) do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), o município se prepara para atender as demandas da Petrobras, da Shell e da ExxMobile, empresas gigantes da cadeia de óleo e gás global, que miram investimentos no desenvolvimento de novas áreas de produção de petróleo, arrematadas nos últimos leilões realizados pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Com investimentos avaliados em mais de US$ 10 bilhões, a Petrobras já antecipa projetos que visam aumentar a sua capacidade operacional na região que representa a gêneses do petróleo nacional. Além do óleo novo, a estatal brasileira ainda aposta na revitalização dos campos mais antigos, elevando a capacidade de produção.

Diante desta perspectiva de elevação das atividades offshore na Bacia de Campos, cresce também o volume de produção e de processamento de gás natural, combustível que será responsável por marcar um novo capítulo na história de desenvolvimento da cidade.

Ao viabilizar projetos de geração de energia, Macaé torna-se agora a base para a construção de novas usinas termelétricas. Além das duas já em operação, e do projeto Marlim Azul em fase de construção, o município conta ainda com mais quatro empreendimentos em fase de licenciamento, o que permite projetar a instalação de indústrias de diversos segmentos, em destaque a petroquímica.

Governo também prepara sua contrapartida

Diante da perspectiva de mercado offshore, como força do novo ciclo de desenvolvimento da cidade, o governo municipal também define medidas que visam estabelecer uma nova infraestrutura adequada à logística das atividades de óleo e gás.

Além de dar continuidade das obras de construção da Estrada de Santa Tereza, a prefeitura agiliza os processos de licenciamento da Transportuária, estrada que fará a conexão entre a RJ 106, onde será instalado o Tepor, com a RJ 168, no trecho onde se concentra agora a instalação das novas termelétricas e do Complexo Logístico Industrial de Macaé (CLIMA).
“Vivemos sim uma nova fase diante das perspectivas do mercado de óleo e gás. Com o porto, aeroporto, termelétricas e novos investimentos, Macaé vence a crise. É emprego na veia”, garante o prefeito Dr. Aluízio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here