A grande expectativa gerada nos últimos dias pelas autoridades macaenses e pelas instituições que pretendiam comemorar o reinício dos voos comerciais no Aeroporto de Macaé a partir deste domingo sofreu um grande impacto de decepção ao serem informados pela Passaredo Linhas Aéreas de que o voo Macaé-Congonhas inaugurando a linha para a capital paulista foi cancelado porque a Infraero, que ainda administra a gestão do aeroporto concedido a Zurich AirPort, não providenciou junto a Anac a certificação da pista.

Presidente Márcio Santiago do Brasil CVB, Embaixador de Turismo de Macaé, presente no voo. Ajudou muito intercedendo junto a Passaredo para que incluísse Macaé nos novos voos que passou a operar desde hoje.

Para o presidente do Convention Visitors & Bureau (CVB), Guilherme Abreu, “é inadmissível uma situação dessas e vamos protestar junto ao ministro de Infraestrutura e até ao presidente Jair Bolsonaro, exigindo explicações da Infraero que simplesmente, numa ação desdenhosa, parece estar indo contra todos os princípios de uma boa administração e dando provas de que a incompetência continua reinando na empresa, mesmo tendo sido realizada a licitação e ter a Zurich AirPort adquirido a concessão e pago ao governo quase R$ 500 milhões para ter o direito de explorar comercialmente o aeroporto de Macaé”, disse.

Na manhã deste domingo, a Passaredo divulgou nota lamentando o episódio e informando que o cancelamento se deu em razão da não certificação da pista, processo burocrático que já deveria ter sido concluído junto a Anac que não se manifestou.

Na nota a Passaredo informa que o voo Congonhas-Macaé está confirmado mas o pouso se dará no Aeroporto de Cabo Frio. Os passageiros deverão utilizar o meio rodoviário para chegar em Macaé.

Os diretores da Passaredo e da nova empresa Aeroportos do Sudeste do Brasil – Aseb, que programaram presença no aeroporto de Macaé, não se manifestaram aguardando uma posição da Infraero.

Também os passageiros que compraram passagens e assumiram compromissos em São Paulo, ficaram frustrados e aguardam uma posição das empresas e como haverá o ressarcimento das despesas, também, feitas com os hotéis em São Paulo.

Marco Navega, presidente estadual do CVB, mostrou-se indignado com o ocorrido e disse que a entidade vai protestar junto a Infraero, Anac, ao ministro de Infraestrutura e outras autoridades que, de uma ou outra forma, não deram a devida importância ao caso, principalmente no que toca a certificação da pista.

As notas divulgadas pela analista da Passaredo e também algumas manifestações são as seguintes:

A Aeroportos do Sudeste do Brasil, empresa do grupo Zurich Airport, lamenta que o primeiro voo de Macaé tenha sido suspenso e informa que, embora tenha ganho a concessão do Aeroporto para os próximos anos, ainda não é a responsável pelas operações locais. Mesmo assim, desde que ganhou o leilão, está trabalhando arduamente para regularizar todas as pendências junto aos Órgãos responsáveis para viabilizar os voos comerciais na cidade. Mesmo com todos os esforços, a Concessionaria não tem nenhum poder administrativo pelo Aeroporto e não pôde se responsabilizar pelas pendências atuais. A ASeB reitera ainda a importância do Aeroporto de Macaé para o grupo Zurich Airport e está empenhada em continuar trabalhando para que esse voo aconteça o mais breve possível e que esse seja o início de uma nova era para a cidade.

Vanessa Bezerra
Analista de Comunicação

A VOEPASS Linhas Aéreas informa que, devido ao atraso na certificação do Aeroporto de Macae, o voo de Macaé com destino Congonhas neste domingo dia 27 de outubro foi cancelado.

O voo de Congonhas para Macaé neste domingo está mantido e irá operar no aeroporto de Cabo Frio como alternativa, sendo os passageiros trasladados via rodoviária até Macaé.

Para os passageiros cujo voo foi cancelado serão ofertadas as alternativas previstas na Resolução 400 da Anac.

Os voos de Congonhas para Macaé previstos para segunda-feira,dia 28 de outubro, estão mantidos até que haja uma manifestação formal e definitiva sobre a certificação do aeroporto, à cargo da Infraero.

3 COMENTÁRIOS

  1. (Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia, para que tambem te nao faças semelhante a ele. Prov. 26:4.)
    Parabéns à Infraero que soube responder a essa mídia chinfrim com o que a sociedade esperava; eis aí, divulgada nos noticiários sérios deste país, poucos, por sinal, a certificação operacional do Aeroporto de Macaé.
    Infelizmente esse jornaleco dito “O Debate”, não é digno do nome com o que o batizaram, pois não deu à Infraero sequer o direito ao contraditório e embarcou no voo dos midiáticos desesperados deste país, publicando inverdades e se omitindo no direito de resposta à empresa Infraero. Onde anda o Oscar Pires que não vê uma porcalhada e patranhada dessas?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here