Lucas Naves, de 6 anos, precisa encontrar um doador de medula óssea. Divulgação

Lucas Naves precisa de um transplante de medula óssea e campanha de doação ganha força nas redes sociais

Portador de Leucemia Mielomonocítica Juvenil (LMMJ), um tipo raro de câncer infantil, Lucas Barbosa Naves, de apenas seis anos de idade, nascido em Niterói, mas em Macaé desde os primeiros 10 dias de vida, se encontra internado num hospital particular na cidade do Rio de Janeiro, precisando encontrar um doador compatível de medula óssea.

Diagnosticado com a doença há quinze dias, aproximadamente, seus pais Davidson Naves e Vanessa Naves vem contando com o apoio das redes sociais a fim de mobilizar uma campanha com o intuito de conseguir alguém que seja capaz de salvar a vida do filho, visto que o transplante de medula óssea, é o único tratamento.

Desde que o caso foi divulgado pela primeira vez, a população macaense bem como as pessoas de outros estados e cidades vêm se solidarizando e procurando se informar sobre como proceder para realizar a doação. A coleta das amostras de sangue para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME) é realizada no Hospital Pedro Ernesto e no Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Segundo Luiz Felipe Faria, amigo da família, hoje o estado dele ainda carece de muito cuidado, porém, mais estável após o início da quimioterapia que funciona de forma paliativa. Há alguns dias não apresenta febre e uma das atividades que tem feito é jogar videogame. “Esperamos com a campanha encontrar um doador de medula para o Lucas o quanto antes, em virtude da gravidade do caso. Para àqueles que já estão cadastrados, é de suma importância que verifiquem se as informações cadastradas no REDOME estão atualizadas”, ressalta.

Lucas, com os pais, Davidson Naves e Vanessa Naves. Divulgação

De acordo com Faria, espera-se com a campanha ajudar tantas outras pessoas que passarão por situação semelhante e, que, infelizmente, não terão o suporte médico, hospitalar e familiar que o Lucas possui. “Ficamos muito felizes e agradecidos com o apoio que temos recebido de todo o Brasil e até de fora. O país tem hoje o 3° maior banco de doadores do mundo, porém, em virtude da sua miscigenação, torna-se mais difícil encontrar um doador e por isso essa campanha também é tão importante. Queremos aproveitar essa corrente do bem para que tenhamos mais doadores de medula no Brasil”, pontua.

Com o cenário pandêmico, onde o isolamento social é a principal medida protetiva no combate à propagação do coronavírus, a corrida dos pais em busca de um doador se torna mais emergente, já que além das dificuldades enfrentadas pelo menino diante da doença, o atual momento torna a situação ainda mais delicada.

Aos que residem no estado do Rio de Janeiro e desejam se cadastrar como doadores, basta comparecer ao Banco De Sangue Do Instituto Nacional De Câncer José Alencar Gomes Da Silva, situado na Praça Cruz Vermelha, número 23 – 2º Andar – Centro, Rio de Janeiro. Para mais informações, basta ligar pelo telefone (21) 3207-1580.

Já os que desejam se cadastrar e residem em outros estados, basta acessar o link http://redome.inca.gov.br/doador/onde-e-feito-o-cadastro-de-doador/. Para acompanhar as notícias e últimas informações sobre o Lucas, basta acessar o instagram no link https://instagram.com/lucascontraleucemia?igshid=10dz4ml6fm19s.

Cidade 5-1
Lucas Naves, de 6 anos, precisa encontrar um doador de medula óssea.

Cidade 5-2
Lucas, com os pais, Davidson Naves e Vanessa Naves

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here