Equipamentos de perfuração de petróleo, caminhões tanque e demais materiais foram apreendidos na manhã desta terça-feira (5) - Divulgação Reprodução TV Record

Cinco pessoas foram detidas nas cidades de Macaé, Cabo Frio, Carapebus e Campos

A Polícia Civil realizou na manhã desta terça-feira (5), mais uma etapa da Operação ‘Sete Capitães’, que investiga uma organização criminosa especializada no furto de petróleo no Norte do Estado. A quadrilha atuava em Macaé, Quissamã e Carapebus. Ao todo, cinco pessoas foram presas.

Um dos suspeitos foi presos em uma residência, na cidade de Carapebus. Outros dois homens foram detidos em um posto de combustíveis, localizado no Centro de Macaé. Segundo as investigações, os dois eram vigilantes de uma empresa terceirizada que presta serviço para a Transpetro, empresa de logística da Petrobras.

De acordo com o delegado da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Júlio Filho, um outra prisão também foi cumprida na cidade de Campos, contra um policial militar que estava em casa, e é lotado no 32º Batalhão de Polícia Militar de Macaé.  Segundo o delegado, o militar seria o responsável por passar informações para a quadrilha.

Em Cabo Frio, um dos homens suspeitos de liderar a organização criminosa, conhecido como ‘Pernambuco’, também foi detido.

 “A investigação vem sendo realizada há 10 meses . A quadrilha com base no Rio de Janeiro, tinha forte atuação em Macaé, Carapebus e Quissamã. Nesta etapa da operação  foram expedidos sete mandados de prisão e 11 busca e apreensão. Ao todo, 25 equipes atuaram na ação que também ocorreu em Búzios e Cabo Frio, Casimiro de Abreu e Rio das Ostras”, disse o delegado.

No mês passado, a Polícia Civil prendeu em flagrante 11 suspeitos de integrar a quadrilha. Eles foram encontrados em Quissamã. De acordo com a Polícia Civil, a organização criminosa perfurava os dutos e furtava em média 1.500 litros de petróleo e derivados por semana. O material era transportado em caminhões de grande porte com capacidade para armazenamento de 50 mil litros. Tudo era levado para uma empresa no Paraná que receptava o petróleo e realizava o refino.

Os presos foram encaminhados para a sede da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados, na Cidade da Polícia.

Na casa do policial militar foram apreendidos, um rádio portátil, uma touca ninja, 14 carregadores de munições, um revólver e um aparelho de celular. Já na residência de um suspeito detido em Cabo Frio foi apreendido um aparelho de perfuração de petróleo.

Quanto a prisão do PM em Campos e lotado no 32º BPM de Macaé, a assessoria de comunicação da PM do Rio informou por meio de nota que,  o policial foi encaminhado para a Unidade Prisional da PM, que fica em Niterói.

Sobre a prisão dos dois vigilantes detidos no posto de combustível e que prestam serviço para a Transpetro, não tivemos nenhuma resposta sobre o caso.

Vale destacar que, a prática de furto ilegal de combustível, além de ser criminosa, representa um risco para o meio ambiente e para pessoas que residem nas proximidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here