O tabagismo também é considerado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

O Dia Mundial sem Tabaco ocorre neste domingo, 31 de maio, lembrando que os fumantes têm maior risco de infecções por vírus, bactérias e fungos

 

Com o tema Tabagismo e Coronavírus (Covid-19), o Dia Mundial Sem Tabaco (31 de maio) desse ano tem como objetivo ressaltar a informação de que os fumantes têm maior risco de infecções por vírus, bactérias e fungos. O tabagismo também é considerado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e tem papel de destaque no agravamento do paciente infectado pelo Covid-19, dessa forma, o tabagismo é considerado fator de risco para a Covid-19.

De acordo com a coordenadoria da Área Técnica de Prevenção e Controle do Tabagismo, ligada a Secretaria Municipal de Saúde, os tabagistas também correm mais risco de contágio pois, muitas vezes, fumam na rua onde não é possível a lavagem das mãos. Além disso, o uso de álcool gel não é indicado pelo risco de acidentes, como queimaduras. O isolamento é de extrema importância, já que pelas complicações pulmonares os fumantes também estão mais sujeitos a fazerem a forma grave da Covid-19.

A coordenadoria também explica que o ideal seria se o tabagista pudesse parar de fumar nesse momento, porém, não sendo possível, o recomendado é a redução de cigarros fumados por dia. É importante ressaltar que estando em isolamento, em casa, o tabagista nunca deve fumar junto aos familiares.

A rede municipal de saúde possui equipe especializada com multiprofissionais que realizam atendimento de usuários individuais ou grupos. A proposta é reduzir os malefícios causados pelo tabagismo. Seguindo as medidas de respeito ao isolamento/distanciamento, a unidade não está realizando atendimento presencial e nem casos novos. Pacientes que já haviam iniciado tratamento estão tendo acompanhamento por telefone.

 

Dia Mundial sem Tabaco

Comemorado em 31 de maio, o Dia Mundial sem Tabaco foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como um alerta sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. O consumo de derivados do tabaco causa quase 50 doenças diferentes, principalmente as cardiovasculares (infarto, angina), o câncer e as doenças respiratórias obstrutivas crônicas (enfisema e bronquite). As doenças cardiovasculares e o câncer são as principais causas de morte por doença no Brasil, e o câncer de pulmão, a primeira causa.

 

Principais dúvidas

Quem fuma faz parte do grupo de risco para a Covid-19?

O tabaco causa diferentes tipos de inflamação e prejudica os mecanismos de defesa do organismo. Por esses motivos, os fumantes têm maior risco de infecções por vírus, bactérias e fungos.

As chances de desenvolver sintomas graves da doença aumentam se o tabagista tiver algum comprometimento da capacidade pulmonar

Assim, podemos dizer que o tabagismo é fator de risco para a Covid-19.

 

Fumar aumenta o risco de contrair coronavírus?

O fumante, caso leve as mãos não higienizadas à boca para fumar, pode contrair o vírus.

Quando tiver que sair de casa evite levar cigarros e fumar na rua, procurando não retirar a máscara.

Evite fumar na rua onde nem sempre é possível lavar as mãos.

O álcool gel deve ser evitado pelo risco de queimaduras ao ascender o cigarro.

Tabagistas têm o sistema respiratório prejudicado pelo fumo e se infectados pelo coronavírus, podem ter sua saúde ainda mais ameaçada.

 

PARAR DE FUMAR pode reduzir o risco de desenvolver a forma mais severa da Covid-19?

Ao deixar de fumar, os benefícios à saúde são imediatos, pois após 12 a 24 horas sem fumar os pulmões dos fumantes já funcionarão melhor.

Se ainda não conseguiu para de fumar, é possível fazer uma redução dos cigarros fumados nesse momento.

Evite sair de casa sem necessidade, lave as mãos e ao sair use a máscara.

Não fume dentro de casa, evite expor os seus familiares a fumaça do cigarro.

Em casa, fume apenas em locais abertos e bem ventilados. Não fume perto de crianças e idosos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here