Foto: Raphael Bozeo/Secom
A flexibilização das atividades econômicas da cidade, permitida através do decreto municipal 04/2021, estabelece um marco importante para a nova etapa da cidade: a de “Superação”.
Apesar da pandemia do Coronavírus ainda manter a cidade em alerta, a Superação ajuda a qualificar o resultado da primeira reunião ampliada, realizada hoje (11) entre o prefeito

Welberth Rezende (Cidadania), e os presidentes e representantes das principais instituições empresariais locais que unidas representam o comércio, o turismo, o polo gastronômico e o setor de serviços.
Em um caminho traçado ainda na fase da campanha, o diálogo institucional entre as partes fortaleceu o voto de confiança sacramentado nas urnas, com um fato novo: a liberdade do setor produtivo em discutir e propor ações do Executivo.
“Eu acredito que a Superação da cidade depende de uma construção coletiva. O governo tenta superar os seus próprios desafios, mas encontra nessas instituições o apoio necessário para avançar. E nessa relação de cooperação certamente vamos encontrar o caminho dos empregos”, afirmou Welberth.
Da decisão de ampliar o horário de atividades do comércio, o governo recebeu sinais positivos dos setores que sentem na pele os efeitos da pandemia, o que seguram “na unha” os postos de trabalho.
“É animador ouvir de um prefeito o reconhecimento dos nossos esforços em buscar o melhor caminho para a cidade. Unidas, às instituições conseguirão superar essa fase”, apontou Luiz Henrique Fragozo, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Macaé.
A partir de agora, o governo manterá agenda constante de diálogo com o CDL, a Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), Polo Gastronômico, Convention and Visitors Bureau (CVB) e a Rede Hoteleira, uma proximidade importante para viabilizar outras vertentes importantes da cidade, como o Turismo.
E caberá aos secretários de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Viana, de Trabalho e Renda, Cristiano Gelinho, de Turismo, Fernando Amorim e de Políticas Energéticas, Juninho Luna, manter e ampliar essa parceria que pode fazer Macaé alavancar.
(Texto produzido pela equipe de O DEBATE todos os direitos reservados)

1 COMENTÁRIO

  1. Muito blablabla que se repete entra ano e sai ano. É preciso ação e menos politicagem. Cadê o tal porto maravilha de Macaé que vai tirar a a cidade do atoleiro? Cadê os protestos contra a destruição da Petrobras que ainda é o carro chefe da industrialização de Macaé?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here