Em uma decisão unânime, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) absolveu a desembargadora Marília de Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio, que tinha se tornado ré após a família de Marielle Franco apresentar uma queixa-crime por suposto crime de calúnia contra a vereadora.

A desembargadora fez postagens apontando a ligação da vereadora assassinada com facções criminosas como o Comando Vermelho. “A questão é que a tal Marielle não era apenas uma ‘lutadora’, ela estava engajada com bandidos! Foi eleita pelo Comando Vermelho (facção criminosa carioca) e descumpriu ‘compromissos’ assumidos com seus apoiadores. Ela, mais do que qualquer outra pessoa ‘longe da favela’ sabe como são cobradas as dívidas pelos grupos entre os quais ela transacionava”, postou a desembargadora.

Os ministros do STJ consideraram que as retratações publicadas pela magistrada foram suficientes e a absolveu, extinguindo o processo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here