Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Nupem inaugura Espaço Ciência

Em 24/10/2008 às 23h09


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

A divulgação da ciência para públicos não especializados é uma das formas mais conhecidas de se tornar disponíveis conhecimentos e tecnologias que ajudem a melhorar a vida das pessoas e que dêem suporte a desenvolvimentos econômicos e sociais sustentáveis. Pensando nisso, o Núcleo de Pesquisas Ecológicas de Macaé (Nupem/UFRJ) inaugurou esta semana o Espaço Ciência. Esta é a primeira Exposição Científica fiscalizada em Biodiversidade na região de Macaé. O evento fez parte das atividades da Semana Nacional de ciência e Tecnologia.

De acordo com Francisco Estevez, diretor do Nupem, este espaço é apenas um embrião do que deverá ser o primeiro museu científico fora das grandes cidades. "Com a expansão do núcleo, teremos mais espaço para colocar a coleção", explica.

O local já conta com uma réplica de golfinho (Pontoporia blainvillei) em tamanho natural, e outra, bastante realista, de um tubarão anequim (Isurus oxyrynchus) com 3,80m de comprimento, a maior réplica de tubarão atualmente em exibição no país. Da mostra também fazem parte painéis explicativos e jogos interativos sobre a fauna aquática da região. As crianças que visitarem a mostra também poderão sugerir um nome do tubarão, escolhido como mascote da exposição.

Para Joelson Tavares, presidente da Fundação Educacional de Macaé (Funemac), gestora do convênio entre a UFRJ e a Prefeitura, o Nupem tem tido papel fundamental dentro do sistema universitário que vem sendo construído na cidade. "Hoje o núcleo conta com reconhecimento maior da população que começa a entender a importância da disponibilização de recursos para o ensino superior no município. Penso que tecnologia não pode estar dissociada de compromisso social e precisa estar afinada com as necessidades específicas da nossa população", ressaltou.

O assessor da presidência da FAPERJ, professor Egberto Gaspar de Moura representou a fundação na inauguração do Espaço em Macaé, durante a cerimônia de inauguração, parabenizou a iniciativa e o investimento que a prefeitura tem realizado no ensino superior. Segundo ele, a Fundação continuará incentivando projetos de divulgação e popularização da ciência, como os do Nupem.

Já o superintendente da Pró-reitoria de Graduação da UFRJ, Eduardo Mach, lembrou a importância da extensão aliada ao ensino e pesquisa. "As atividades que são desenvolvidas aqui são muito boas e dão força às atividades da UFRJ. Além disso, com o fortalecimento destas atividades, todo capital que a Prefeitura investe no ensino superior, retorna em benefícios para a população, que passa a ter acesso a conhecimentos e tecnologias que podem melhorar suas qualidades de vida. Hoje, a comunidade acredita no Nupem e vê este local como ponto de apoio. Quando nasce este tipo de consciência é porque a extensão está funcionando", completou Mach.

Francisco Estevez lembrou as belas paisagens de Macaé. "Aqui podemos encontrar biodiversidade quase desconhecida e é parte da responsabilidade do Nupem identificar e catalogar estas espécies. Queremos o estabelecimento desses ecossistemas para que na era pós-petróleo possa ser explorado o ecoturismo nesta região", disse.

A exposição é gratuita e aberta ao público em geral, estudantes de todos os níveis e crianças acompanhadas por professores ou responsáveis. O Espaço Ciência do Nupem abrigará ainda a reconstituição de um costão rochoso como forma de expor a diversidade da fauna local.

Mesmo depois de encerradas as atividades da Semana de C&T, a exposição "Diversidade dos Ecossistemas Costeiros do Norte Fluminense" continua aberta ao público. E ainda receberá acréscimos. Como as peças emprestadas do Museu Nacional/UFRJ, entre elas os espécimes reconstituídos e empalhados de uma tartaruga marinha, e de aves aquáticas, como atobás e fragatas, que complementarão o espaço.

Foto: Divulgação


    Compartilhe:


publicidade