Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Buraco coloca estudantes e funcionários do Nupem em perigo

Em 21/10/2008 às 09h16


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Cansados de esperar por soluções, funcionários do Cansados de esperar por soluções, funcionários do

Um enorme buraco vem tirando a paz de estudantes e funcionários do Núcleo de Pesquisas Ecológicas de Macaé (Nupem), localizado no bairro de São José do Barreto. Segundo alunos e funcionários, já tem mais de duas semanas que o buraco está aberto e causando acidentes e confusões entre motoristas e pedestres.

De acordo com o funcionário Manoel Augusto, atendente da secretaria da instituição, o buraco representa um grande perigo para aqueles que freqüentam o local. "Já está ficando muito perigoso, pois para desviar do buraco, os carros chegam a encostar no portão principal, onde o trânsito de estudantes é bem intenso", conta Manoel.

Ainda segundo o atendente, o buraco já foi alvo de vários acidentes, principalmente à noite, quando a visibilidade dos motoristas. "Um dia desses um carro caiu e bateu toda a frente do veículo na borda do buraco, amassando tudo", conta.

Estudantes do Nupem também contam que toda atenção é pouca na hora de chegar até a instituição. "A gente já tem que se preocupar com os carros que passam em alta velocidade, vindo de três direções diferentes, agora ainda tem esse buraco enorme!", reclamou uma das estudantes.

Outra aluna, disse que todo dia toma um susto diferente: "Quando vou atravessar, sempre levo um susto, pois aparece do nada carro, caminhão, bicicleta...e todos tentam desviar do buraco ao mesmo tempo, o pedestre que fica perdido, coitado!", ressaltou. Um outro estudante complementa: "Não sei o que é pior, os carros desviarem do buraco e nos atingirem, ou se é ele passar por cima do buraco e nos dar um banho de lama", exclamou.

Outra funcionária do Nupem, Luisa Helena Ribeiro, vem acompanhando a "evolução" do buraco diariamente. Ela conta que já ligaram várias vezes para a Secretaria de Obras, mas que nada foi resolvido. "Sempre dizem que estão vindo, que estão vindo, mas nunca vêm! Vai ver não encontraram o endereço!", ironiza a funcionária.

Ela conta que de tanto esperarem, os próprios funcionários resolveram tapar o buraco com as próprias mãos. "Já que não veio ninguém resolver a situação, nós mesmos tapamos o buraco, pois já estava prestes a acontecer um acidente grave com um de nós, então para evitar o pior, a gente resolveu tapar com as próprias mãos", declarou.

O buraco foi tapado com terra pelos próprios funcionários na última sexta-feira (17), mas com a chuva que caiu na cidade durante o final de semana, ele voltou a abrir, deixando funcionários e estudantes novamente apreensivos com a possibilidade de acidentes no local. A funcionária Luísa Helena conta como é o cotidiano do local:

- O trânsito de caminhões e carreta é muito grande por aqui, pois é um dos atalhos que pegam para as firmas, por isso que o buraco já virou praticamente uma cratera. Até briga já teve entre motoristas e ciclistas que tentavam desviar dele. E quando desviam, sobem na nossa calçada, quase batendo no portão, e no final a gente tem que desviar também, só que dos veículos. - conta a funcionária.

Quando perguntados qual será a solução para os próximos dias, os funcionários respondem em consenso: "Teremos que tapar de novo, com as próprias mãos!", lamentam estudantes e funcionários do Nupem.

Autor: Celine Moraes

Foto: Celine Moraes


    Compartilhe:


publicidade