Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Crimes se instalam nos bairros de Macaé

Segundo comerciantes, a qualquer hora do dia, roubos são registrados também nos bairros Novo Cavaleiros e Granja dos Cavaleiros. População reivindica policiamento diário e mais solução

Em 24/04/2018 às 16h23


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Alameda Tenente Célio, uma das principais vias de acesso da Granja Novo Cavaleiros, tem sido alvo constante de assaltant Alameda Tenente Célio, uma das principais vias de acesso da Granja Novo Cavaleiros, tem sido alvo constante de assaltant
Assaltos à mão armada, roubos às residências, furtos, estupro e tentativa de estupro. Crimes, que segundo comerciantes do bairro Granja dos Cavaleiros, e adjacências, como Novo Cavaleiros e São Marcos, estão provocando medo à população local.

Segundo relatos de comerciantes que, com receio, preferem não se identificar, os assaltos ocorrem a qualquer hora do dia. Com medo, proprietários de um bar e banca de jornal, na Alameda Tenente Célio, na Granja Novo Cavaleiros, afirmam que já não conseguem deixar os estabelecimentos abertos até tarde, porque já foram assaltados no mês passado, por volta das 17h. Segundo o comerciante, três homens armados entraram no estabelecimento e anunciaram o assalto, levando máquina de cortar cabelo, aparelho celular e uma televisão. Ele relata que antes de ser mais uma vítima, atendia a clientela, diariamente, até às 20h. Agora, o estabelecimento é fechado uma hora mais cedo, às 19h. 

"É ruim isso, porque deixo de faturar, mas com essa sensação de insegurança, não dá mais. Não desejo para ninguém o que passei naquele dia em que fui assaltado". Para ele, a região necessita de policiamento diário e de abordagens. 
O morador do bairro Granja dos Cavaleiros, Dirant Ferraz pede mais atenção das autoridades, especialmente da Polícia Militar e do Grupo de Apoio Operacional (Gaop) para um policiamento ostensivo na região que abriga 13 unidades de ensino tanto na rede municipal quanto privada. 

"Diariamente são alunos assaltados aqui na Granja. O bairro é grande e abriga muitas escolas e não presenciamos uma ronda escolar e nem Guarda Municipal, muito menos uma viatura da polícia", disse Dirant, afirmando que o número de assalto disparou consideravelmente, e que, na semana passada, uma banca de jornal, um bar e residências foram vítimas de arrombamentos. 

Dirant Ferraz afirmou que desde 2010  a região vem sofrendo com a onda de assaltos. Segundo ele, além de roubos, estupros estão sendo cometidos no local. "Tive informação de que uma garota foi violentada aqui e uma outra quase foi. Os roubos a ônibus também são constantes, principalmente os que trafegam pela Vila Moreira. 

Ele enfatiza ainda que a falta de iluminação pública contribui ainda mais para ações criminosas, e que no mês passado um pedido foi feito para a prefeitura realizar troca de lâmpadas, mas até o momento o serviço não foi realizado. 
O dono da barbearia conta ainda que já presenciou outros comerciantes serem assaltados. "Aqui ao lado, tem um lava-jato. O local também já foi assaltado várias vezes. Não sabemos mais o que fazer, sinceramente", desabafa o comerciante desanimado.

Uma proprietária de um salão de cabeleireiro e que também prefere não se identificar, revelou à reportagem do Jornal O Debate, que já foi assaltada duas vezes e que todo dia recebe notícias de um roubo ocorrido no comércio local. O primeiro assalto ao salão foi em setembro do ano passado e, o segundo, em março desse ano. Dois homens armados, no primeiro roubo, renderam a proprietária do estabelecimento, e roubaram o carro dela. O veículo, posteriormente, foi recuperado. No segundo assalto, os bandidos entraram no estabelecimento, anunciaram o assalto, levando celular e dinheiro. A comerciante afirmou também que os dois assaltos aconteceram em plena luz do dia, o primeiro às 10h30, e o segundo, por volta das 15h. 

"Trabalhamos com medo todos os dias. Nos dois assaltos que sofri, registrei boletins de ocorrência. Até comentei com um dos policiais que minha vontade era de mudar daqui. Não vejo policiamento, a situação é muito séria".
Os roubos acontecem também a depósitos de bebidas, padarias, farmácias, e caminhões que descarregam mercadorias em estabelecimentos.

Procurado pela reportagem do Jornal O Debate, a Polícia Militar informou que o policiamento na região será reforçado a qualquer momento.

Autor: Cristian Kupfer

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: polícia


publicidade