Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Nupem lança na próxima semana Carta da Água de Macaé

Evento está marcado para o dia 20, às 10h, no Auditório da instituição. Material foi elaborado por cientistas do Nupem/UFRJ

Em 14/03/2015 às 18h45


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Francisco Esteves diz que documento foi elaborado com base em dados obtidos em pesquisas realizadas há cerca de 30 anos Francisco Esteves diz que documento foi elaborado com base em dados obtidos em pesquisas realizadas há cerca de 30 anos
O Dia Mundial da Água será comemorado apenas no próximo domingo, dia 22. No entanto em meio à crise hídrica nacional, na Capital Nacional do Petróleo profissionais do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé (Nupem) / Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Campus Macaé Professor Aloísio Teixeira seguem na elaboração da "Carta da Água de Macaé" que será lançada no próximo dia 20. 

A iniciativa, intitulada "Carta das águas: uma contribuição do NUPEM/UFRJ Macaé para a governança de recursos hídricos do município de Macaé", redigida por cientistas da UFRJ/Macaé tem como principal objetivo propor medidas possíveis de serem adotadas com a finalidade de preservar a quantidade e qualidade e uso sustentável dos recursos hídricos na cidade. 

O documento foi elaborado com base em dados obtidos por meio de pesquisas que vêm sendo realizadas há cerca de 30 anos pelos profissionais da instituição. Eles ressaltam que dispõem de várias informações e dados que, de alguma forma, podem vir a contribuir com a sociedade.  

Estão previstos para participarem do evento Pesquisadores do NUPEM UFRJ Macaé/ Autoridades UFRJ - Reitor e Pró-Reitores/Autoridades Locais, representantes da Prefeitura de Macaé, entre eles o Prefeito Dr.Aluísio, e o Secretário de Ambiente, representantes da Câmara Municipal, da Secretaria de Ciência e Tecnologia, Agenda 21e demais Secretarias e autoridades locais.

O professor e cientista Francisco Esteves, um dos envolvidos na elaboração do documento destaca a importância de começar a se pensar o quanto antes em estratégias para minimizar esse impacto da escassez de água no município. 

"É preciso fazer um paralelo entre oferta e consumo de água e lembrar que o "Rio Macaé antes abastecia 40 mil pessoas. Hoje são mais de 150 mil, fora as plataformas, enfim, toda a economia do petróleo e termoelétricas", explica.

Esteves pontua ainda que de acordo com cientistas, estamos passando hoje por uma realidade preocupante no Norte Fluminense, pois haverá aumento nos períodos de estiagem, atravessando os períodos que anteriormente seriam de chuva. "E isso já está acontecendo pelo segundo ano consecutivo. Ainda, deve-se considerar que no período de estiagem tenhamos grandes enchentes. O ideal é que a população comece a mudar seus hábitos e se conscientizem sobre a importância de economizar", orienta.

Entre as sugestões dadas por Esteves para começar a economizar domesticamente, utilizando a água de reúso, estão coletar água da chuva para uso sanitário e fazer o reaproveito da água da roupa (reúso), por exemplo, para lavar carros, áreas externas e demais ambientes. 




Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:


publicidade