Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Petrobras transfere funcionários da UO-Rio e medida causa transtornos

Informações desencontradas dão conta de que a Petrobras estaria em processo de desativação da unidade no município pág.3

Em 22/03/2014 às 12h22


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

As informações desencontradas que tomaram conta dos bastidores de que a Petrobras estaria desativando em Macaé a Unidade Operacional Rio, transferindo os funcionários para a capital, está causando transtornos em algumas pessoas e deixando a população alardeada com o possível esvaziamento econômico do município. Até ontem, apesar de solicitada a esclarecer o problema, nenhuma informação oficial a respeito do caso foi confirmada pela empresa o que leva empresários e trabalhadores ligados à indústria do petróleo a ficar receosos com as diversas versões em encontros reservados.

Os rumores que se tornaram mais fortes esta semana, continuaram ontem a ganhar velocidade mas ninguém da Petrobras ou mesmo empresários ligados ao trabalho de apoio à exploração e produção de petróleo da Unidade Operacional da Bacia de Campos, confirmou os fatos até agora gerados pela decisão que deixa todos preocupados até que a empresa estatal esclareça de maneira oficial as medidas adotadas.

Segundo fontes ligadas às atividades das empresas de petróleo e, também, a alguns políticos, o caso do esvaziamento das atividades da Unidade Operacional Rio, com a transferência do setor administrativo para a capital, teria sido decidido quarta-feira passada pela presidente Maria das Graças Silva Foster, e o processo estaria sendo executado pelo Diretor de Produção e Exploração José Maria Formigli Filho, que há muitos anos participou do desenvolvimento da Bacia de Campos, o que não foi confirmado pela empresa. No site da Petrobras, também, não consta nenhuma medida adotada relacionada ao caso.

Outras fontes que também poderiam esclarecer o caso, ligadas ao Sindipetro Norte Fluminense (NF), não retornaram as ligações feitas pela reportagem e no site não tem nenhum registro referente aos rumores da desativação da UO Rio em Macaé.

Pelo que foi apurado sem que a Petrobras confirmasse as informações, a decisão não foi recente e há mais de dois anos os funcionários da UO Rio que trabalhavam em Macaé vêm sendo transferidos para o Rio de Janeiro ou migrados para os quadros da UO-BC. Possivelmente, os rumores agora poderiam apenas confirmar o fim das operações administrativas que serão todas concentradas no Rio de Janeiro.

Outras informações garantem que as medidas adotadas podem ser uma política de concentração de poder na sede da empresa na capital enquanto os investidores continuam apostando na evolução dos trabalhos na Bacia de Campos com a forte estrutura montada em Macaé para a exploração na camada de pré-sal, atraindo empresários principalmente no ramo de hotelaria, baseados em pesquisa de mercado.

Foto: Divulgação


    Compartilhe:


publicidade