Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Começa amanhã o período de defeso da sardinha

Quilo da espécie está custando R$ 10, mas deve aumentar para R$ 12

Em 31/10/2013 às 11h14


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Segundo a comerciante Cátia, preço da sardinha aumenta, porque o custo fica maior no defeso Segundo a comerciante Cátia, preço da sardinha aumenta, porque o custo fica maior no defeso
Começa nesta sexta-feira (1) o período de defeso da sardinha, quando a pesca será suspensa no litoral macaense, assim como em todo o Sul e Sudeste do país. Serão cerca de três meses e meio reservados para a produção da espécie, já que a restrição vai até o dia 15 de fevereiro de 2014. Com a proibição da pesca nesse período, a espécie atinge o tamanho ideal de captura. 

Segundo o secretário de Pesca, José Carlos Bento, a lei federal protege a espécie e, para não prejudicar os pescadores, estabelece cotas para esse período. No entanto, apenas 80 barcos, em todo o Brasil, têm liberação para pescar a sardinha nesses quatro meses. "A cidade de Macaé não é contemplada com essa cota, pois aqui só existe a pesca artesanal", afirmou José Carlos. 

Com isso, a secretaria de Pesca pretende solicitar ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) uma cota para os pescadores da cidade, já que a falta da sardinha traz prejuízos para o mercado pesqueiro de Macaé. "A sardinha é o centro da cadeia produtiva da pesca. Ela se alimenta de pequenas espécies marinhas e é o alimento da maioria das espécies, inclusive da maior delas, que é a baleia", disse o secretário.

Com o defeso, a pesca da sardinha está proibida nas lagoas, rios e mar da região. De acordo com a lei de crimes ambientais (lei 9.605/98), quem for pego pescando durante esse período pode pagar multa, ser preso por crime ambiental, ou ambas as penas cumulativamente. No caso de multa, o valor varia entre R$ 700 e R$ 1.000, com acréscimo de R$ 20 por quilo ou fração do produto da pescaria. Para isso, o município, por meio da secretaria de Ambiente, realizará fiscalizações periódicas para a preservação da espécie. 

Fora do período do defeso, o quilo da sardinha custa em torno de R$ 10. Já durante a proibição de pesca da espécie, o valor passa para R$ 12. "O preço aumenta, porque o nosso custo também aumenta. Durante o defeso, o preço de meia caixa, com 15 quilos de sardinha, chega a custar R$ 60", contou a comerciante Cátia.  

Segundo Cátia, a sardinha é um dos peixes mais procurados e, por isso, as vendas durante o período de defeso caem significativamente. "Temos que comprar congelado ou dos pescadores que têm as cotas. Os estoques ficam baixos."













Autor: Patricia Lucena/ patricia@debateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:


publicidade