Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Nupem\UFRJ realiza palestra em comemoração os 13 anos do Parque

Em 29/04/2011 às 13h20


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

A palestra foi um evento integrado a semana de com A palestra foi um evento integrado a semana de com
Sexta-feira, 29 de abril de 2011 - é hoje que uma das mais belas, bonitas e preservadas Unidades de Conservação do país, carinhosamente chamada de Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba completa o seu 13º aniversário. Para comemorar a data autoridades municipais de Quissama, Carapebus e Macaé - cidades que abrangem o Parque realizaram durante toda a semana uma série de atividades.  

Na tarde de ontem (28) foi a vez do Nupem / UFRJ sediar o seu evento. A palestra intitulada “Unidades de Conservação e Mudanças Climáticas globais” foi ministrada na unidade pelo professor Phd, Fábio Rúbio Scarano, diretor executivo da Conservation International Brazil, e professor da UFRJ. 
Durante  o evento que contou com a participação de alunos e docent
es da instituição, o diretor acadêmico do Nupem, Francisco Esteves e representantes do Parque Jurubatiba, entre eles, o chefe da Unidade, Carlos Alexandre Fortuna - Scarano abordou sobre o que é Unidade de Conservação, onde citou  o Parna Jurubatiba como exemplo e também relatou sobre mudanças climáticas globais. 

Iniciando a palestra, o profissional citou a seguinte frase: “A ciência alcançou a era pós-moderna, onde os fatos são incertos, os valores estão em disputa, os interesses são enormes e as decisões são urgentes”, de Sardar (2002) Postmodermism and Big Science Icon Books.

Em seguida, o professor mencionou outra frase para exemplificar ainda mais o conteúdo a ser passado. “Meteorologia, ecologia e economia lidam com tal grau de complexidade que correm o risco de permanecer para sempre na fronteira da cientificidade”. A frase é de Michel Foucault (1910). 

O  professor Scarano também falou sobre a relação entre o cientista e tomador de decisão. “O mundo desses dois profissionais é muito diferente - o do cientista é muito individual enquanto que o do tomador de decisão é coletivo”, explicou. 
De acordo com Scarano, o primeiro conceito de Área Protegida foi criado no século XIX, nos Estados Unidos. Já em 1920 o país contava com seis Parques. “E esse número pouco a pouco só foi se expandindo e o Brasil tem seu território com 10% de áreas protegidas”, ressaltou. 

Com um extenso currículo, o professor Scarano também foi um dos idealizadores do Nupem e do Parna Jurubatiba. Professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro (desde 1993), porém sua atividade científica e militância  o tornou membro da Linnean Society of London (desde 1995), Coordenador da Área de Ecologia e Meio Ambiente na CAPES/MEC (desde 2005), Diretor de Pesquisas Científicas do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (2007-2009) e, desde outubro de 2009, atua como Diretor Executivo da Conservation International do Brasil.

Scarano também foi um dos idealizadores do Nupem e do Parna Jurubatiba. 
À noite, a confraternização foi em Quissamã, onde aconteceu a “Audição no Espaço Cultural José Carlos Barcelos”, com o tema “Um passeio pela  memória da Restinga Jurubatiba”. 

Autor: Juliane Reis | Juliane@odebateon.com.br

Foto: Divulgação


    Compartilhe:


publicidade