Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Curso de capacitação reúne mais de 50 profissionais no NUPEM/UFRJ

Em 17/12/2010 às 12h44


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Os participantes receberam orientações sobre a imp Os participantes receberam orientações sobre a imp
Atuação das Guardas Municipais Ambientais na Proteção do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Com esse tema que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio) e o Ministério do Meio Ambiente realizaram na última quarta-feira (14) um curso de capacitação para profissionais das guardas ambientais de Carapebus, Macaé e Quissmã - os três municípios que abrangem a área do Parque Nacional de Jurubatiba, considerado uma das restingas mais preservadas do país. 

Na ocasião cerca de 50 pessoas entre guardas, representantes de secreatarias de Meio Ambiente dos três municipios, professores do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Sócio-Ambiental de Macaé NUPEM/UFRJ e equipe do Parque Nacional participaram do curso. As aulas foram ministradas pelos analistas ambientais do órgão, Carlos Alexandre Fortuna e Marcos Cezar dos Santos, e também por professores do NUPEM/UFRJ.  

Vários conceitos foram discutidos com os participantes, entre eles unidades de conservação, proteção e fiscalização ambiental, atuação das guardas ambientais na proteção dos ecossistemas e propostas de ações conjuntas entre as guardas da unidade de conservação. O objetivo foi frisar e conscientizar os participantes e população no geral sobre a importância da preservação do local. 

Durante o curso, Carlos Alexandre Fortuna, chefe do Parque de Jurubatiba, ressaltou a importância da cooperação das guardas municipais dos três municípios para a garantia da integridade. Na ocasião o profissional disse ainda que, por meio da assinatura dos termos de reciprocidade com Macaé, Carapebus e Quissamã, é ampliada a perspectiva de uma maior presença pública no interior da Unidade.

 Ele destacou a importância da parceria entre instituições. “As diversas ações em andamento só são possíveis graças às parcerias existentes com as Prefeituras locais, a Polícia Federal, o Ministério Público Federal, a Justiça Federal em Macaé, o Ministério Público Estadual, a UFRJ, o IFF e outras instituições que compreendem a importância da preservação de um dos ambientes mais ameaçados de todo o planeta (a restinga e as lagoas costeiras)”, explicou. 

Já Marcos Cezar, que considerou a capacitação um sucesso, discorreu sobre as ações de proteção em andamento no Parque Nacional e citou como o Instituto espera a cooperação das guardas ambientais. Outros pontos mencionados pelo analista foram as ações permitidas e proibidas em Unidades de Conservação. Ele apresentou ainda o planejamento operacional do Parque para o próximo ano. 

Na oportunidade os participantes tiraram suas dúvidas e puderam conhecer o trabalho da guarda ambiental de Macaé, tais como ações desenvolvidas, treinamentos realizados e papel da mesma na conservação dos diversos ecossistemas da região. 

De acordo com Marcos Cezar, os presentes no evento aproveitaram para marcar uma reunião para que sejam traçadas as ações de fiscalização no Parque Nacional para o período de 2011. “Foi  estabelecido que as ações de proteção serão desenvolvidas sempre em conjunto com o ICMBio e levando em conta a proposta de cooperação entre as guardas ambientais dos três municípios”, disse. A reunião vai acontecer no dia 5 de janeiro de 2011. 

O Parque 

Trata-se de uma Unidade de Conservação Federal, criada em 29 de junho de 1998, que tem como objetivo a preservação local para fins científicos, educacionais, paisagísticos e recreativos. O Parque está localizado no estado do Rio de Janeiro e abrange os municípios de Macaé, Carapebus e Quissamã. 

Autor: Juliane Reis | Juliane@odebateon.com.br

Foto: Divulgação \ Icmbio


    Compartilhe:


publicidade