Na próxima semana, a Geopem iniciará o treinamento do quadro técnico dos 25 municípios costeiros, entre eles, Macaé - Divulgação Inea

Diante do risco do desastre ambiental, Governo do Estado vem atuando para agir em caso de crise

Diante do risco de que o óleo que atinge o litoral nordestino chegue à costa fluminense, a Secretaria de Estado de Ambiente e Sustentabilidade (Seas), junto ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea), está capacitando técnicos da Defesa Civil estadual e dos 25 municípios fluminenses para atuação caso o desastre ambiental afete o Estado.

A capacitação do corpo técnico da Defesa Civil estadual e das Superintendências, das Unidades de Conservação estaduais e da Gerência de Fauna do próprio órgão ambiental estadual para atuação em caso de surgimento de mancha de óleo nas praias fluminenses. O curso começou na última quarta-feira (6), e contou com a participação de 67 pessoas. Ele foi ministrado pela Gerência de Operações em Emergências Ambientais (Geopem), do Inea.

Nesse primeiro encontro foram abordadas técnicas de avaliação do cenário emergencial; coordenação de ações para limpeza das praias; e destinação ambiental adequada do resíduo recolhido. Durante o treinamento, foram ainda tratados os diferentes tipos de cenários, como costões rochosos, praias urbanas e as de difícil acesso e como proceder em cada um deles em caso de surgimento de óleo.

O assessor técnico da Geopem, Ricardo Marcelo, que coordena o treinamento, destacou que a capacitação tem o objetivo de preparar as equipes para que possam atuar com a devida eficácia e rapidez, em caso do óleo atingir as praias.

“A nossa preocupação também é orientar os técnicos quanto ao descarte do resíduo oleoso recolhido que é um dos grandes problemas enfrentados pelos estados nordestinos afetados pelo incidente”, afirmou. Ele ressaltou que a capacitação prossegue, nesta quinta-feira (7), com um treinamento prático em Niterói.

O diretor do Centro Estadual de Administração de Desastres da Defesa Civil Estadual, o tenente coronel do Corpo de Bombeiros, Luís Sergio Lima, que participa do treinamento, aprovou a iniciativa do Inea. “Essa preparação é fundamental para que possamos dar uma resposta mais rápida em um possível cenário de mancha de óleo nas praias”, disse.

O coordenador regional da Defesa Civil das Regiões Norte e Noroeste Fluminenses, o tenente coronel Joelson Oliveira, afirmou que a capacitação vai ajudar no planejamento das ações, o que contribuirá para agilizar o tempo de resposta para esse tipo de incidente.

Na próxima semana, a Geopem iniciará o treinamento do quadro técnico dos 25 municípios costeiros: São Francisco do Itabapoana, São João da Barra, Campos dos Goytacazes, Quissamã, Carapebus, Macaé, Rio das Ostras, Casimiro de Abreu, Cabo Frio, Búzios, Arraial do Cabo, Araruama, Saquarema, Maricá, Niterói, Itaguaí, Mangaratiba, Angra dos Reis, Paraty, São Gonçalo, Guapimirim, Magé, Itaboraí, Duque de Caxias e Rio de Janeiro.

A qualificação foi uma ação definida pelo grupo de trabalho especial criado no dia 24 de outubro, conforme publicação em Diário Oficial do estado, para acompanhamento e vigilância das manchas de óleo na costa brasileira. O grupo é coordenado pela secretária do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, e composto por técnicos da Seas e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). O treinamento teve como base as orientações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here