Nível do Rio São Pedro, que corta distritos como o de Glicério, apresentou aumento no seu nível na manhã desta segunda-feira. Até o momento, ele segue em estágio de alerta (laranja) - Arquivo O DEBATE

Inea segue monitorando a Bacia Hidrográfica de Macaé e Rio das Ostras. Rio Macaé está em estágio de atenção

As áreas de instabilidade começaram a crescer novamente sobre o Estado do Rio devido a passagem de uma frente fria pela Região Sudeste do país. A previsão para Macaé é de sol entre nuvens, com grande probabilidade de chuva nas próximas horas.

Com as chuvas, é comum que ocorra o aumento no nível da água nos recursos hídricos. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), segue monitorando a situação em todo o estado.

Segundo o boletim de Alerta de Cheias do órgão, na região da Bacia Hidrográfica Macaé e das Ostras, apenas três estações estão em funcionamento, sendo uma delas em Macaé.

De acordo com o boletim emitido na manhã de hoje (13), o Rio São Pedro, que corta distritos como os de Glicério e Óleo, está em nível laranja, ou seja, em alerta. Por volta das 10 horas, o índice apontava que o nível do recurso hídrico estava subindo.

Já o Rio Macaé, na altura de Nova Friburgo, está em nível amarelo, ou seja, em atenção. Ao contrário do Rio São Pedro, o seu nível está diminuindo. No entanto, a situação pode mudar a qualquer momento.

Diante disso, pessoas que moram em áreas de risco devem redobrar a sua atenção. A prevenção é fundamental para evitar tragédias em caso de acidentes. Caso o nível continue a subir, o risco de que a água invada as casas é grande, colocando em perigo a segurança de várias famílias.

A preservação da mata ciliar é fundamental, pois ela evita alagamentos, uma vez que não permite o avanço das águas do rio. Elas trabalham na contenção de enxurradas, diminuindo a velocidade de infiltração no solo, protegem e rede de drenagem dos reservatórios subterrâneos, reduzem os assoreamentos, entre outros benefícios.

Por conta dessa importância, o Código Florestal diz que as ocupações devem obedecer a uma distância mínima do recurso hídrico. Esse número varia de acordo com a largura do curso d’água em metros. Além das famílias ribeirinhas, quem mora em locais onde há risco de deslizamentos (encostas) também deve prestar atenção. Alguns sinais podem indicar que o imóvel corre riscos de desabamento. Em casos de rachadura nos pisos ou paredes, estalos ou postes e árvores inclinados, recomenda-se que a pessoa saia da casa imediatamente e acione a Defesa Civil.

Em caso de emergência, a população deve ligar para o número: 199. Na região serrana, o contato pode ser feito pelo telefone do Destacamento da Defesa Civil em Glicério: 2793-3846. O contato também poderá ser feito com o Corpo de Bombeiros, no 193.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here