Diego Moraes retoma à vida de competidor para tentar o pódio em 2020 ao lado da técnica Samara Jardim

Exibindo múltiplos talentos, com ênfase no jornalismo e no esporte, Diego Moraes, repórter da Globo, retorna ao karatê e sonha com a Olimpíada de 2020 em Tóquio. O atleta de Macaé, após 11 anos fora do esporte, volta ao tatame repleto de vitórias e vai tentar vaga olímpica.

Para se ter uma ideia do seu preparo físico e técnico, Diego voltou à vida de competidor subindo quatro pódios seguidos, ao conquistar o Bronze no Campeonato Internacional de Karatê, em Las Vegas (USA); Ouro no Open da Copa Amazônica, em Manaus (AM); Ouro na Etapa do Brasileiro em São Luís do Maranhão, que o classificou para a final do Brasileiro que acontecerá em Contagem (MG), em outubro; e Ouro no Open de Aracaju (SE), realizado em junho.

Merece ressaltar que, com esses prêmios, Diego bate um novo recorde no karatê nacional pois até hoje nenhum atleta conseguiu três ouros consecutivos em sua categoria de até 84 kg, consagrando-se ainda como o sexto no ranking nacional. O atleta lembra que, para conquistar vaga olímpica, tem que estar entre os 10 melhores do mundo e a corrida olímpica começa em agosto de 2018. “Todas as competições que fazem parte do circuito mundial somam pontos para o ranking olímpico, como o Première League séries A1, Campeonato Mundial e Campeonato Continental.

A técnica Samara Jardim destaca a preparação de Diego Moraes, afirmando que o atleta está em excelente forma física e técnica. Ela conta que, apesar de ter parado 11 anos, Diego logo que retornou, em sua segunda competição, venceu o atual Campeão Brasileiro, Adam Ramos. “Ali percebi o seu potencial para conquistar vaga olímpica, inclusive porque ele está cercado de uma equipe de profissionais competentes, que cuida das partes nutricional, física, psicologia e técnica, atingindo a nata do karatê nacional e internacional”, disse.

O retomo à vida de competidor para tentar o pódio em 2020 aconteceu em outubro de 2016, quando Diego pesquisou junto a alguns amigos envolvidos com o karatê se ele tinha condições de voltar a lutar como atleta de alto rendimento, como sempre foi. Isabela Santos, atleta da Seleção Brasileira, o ajudou muito na pesquisa e informou que demoraria de um ano a um ano e meio para ele pegar o ritmo e conseguir enfrentar de igual para igual os atletas de hoje. Mas o repórter da Globo surpreendeu mais uma vez, pois logo, em abril de 2017, foi Vice-Campeão Open Internacional Arnold Classic, competição em que venceu o atual Campeão Brasileiro, Adam Ramos.

“Retomei à vida de competidor de karatê para tentar o pódio em 2020, 11 anos depois, em busca de um sonho pessoal, que é ser atleta olímpico”, declarou Diego, lembrando que, quando deixou o tatame aos 18 anos, o karatê não fazia parte do esporte olímpico.

Nascido em Itaperuna, Diego Moraes veio pra Macaé com menos de um ano de idade. Aos 6 anos interessou-se pelo karatê, através de um colega de escola. Começou com o professor Gualberto, na Academia Bushido. Aos 10 anos, sagrou-se Vice-Campeão Mundial Seigokan (estilo de karatê), em Kioto. No mesmo ano passou para a Academia Samara Jardim. Aos 15 anos foi convocado para a Seleção Brasileira de base, sendo até hoje, ele e Samara Jardim, os únicos macaenses a pertencer a equipe brasileira de karatê. Samara explica que, para se integrar à Seleção Brasileira de Karatê tem que ser filiado a Confederação Brasileira de Karatê (CBK), que é ligada a Federação Internacional de Karatê (WKF).

O jovem atleta prossegue sua trajetória de sucesso conquistando o título de Campeão Brasileiro em 2005, Tri-Campeão Estadual, 2005; e 7º lugar no Pan-Americano no Uruguai, também em 2005.

Foi justamente em 2005 que Diego Moraes abandonou o esporte para estudar Jornalismo na PUC Rio. Sempre foi inclinado ao jornalismo esportivo, e por isso em 2009 entrou como estagiário da Globo no setor de Esporte. Em 2013 assumiu a função de Repórter Esportivo da Globo.

“Nesses cinco anos de reportagem, meus principais trabalhos foram a Copa do Mundo de 2014, as Olimpíadas de 2016 e uma série que foi ao ar no Globo Esporte em 2015, Olimpíadas, uma luta’, contando a história de quatro lutadores, um de judô, taekwondo, boxe e luta olímpica”, contou.

Atualmente o repórter comanda a série ‘Diego San’, do Esporte Espetacular, que revela a sua história, questionando, inclusive, se vai conseguir chegar a olimpíadas, ao mostrar a saga de um atleta que divide a função de repórter em busca da vaga olímpica.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here