Ao todo, serão retirados 16 equipamentos, entre São Gonçalo e municípios da Região dos Lagos

DER-RJ anunciou retirada de 16 equipamentos instalados em áreas de risco

O Departamento de Estradas e Rodagem do Estado do Rio de Janeiro (DER-RJ) começará a desligar radares de velocidade instalados em áreas de risco de rodovias estaduais, em cumprimento à Lei Estadual 7.580/17, de autoria do deputado Dionísio Lins (PP). Ao todo, serão retirados 16 equipamentos na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-104 e RJ-106), entre São Gonçalo e municípios da Região dos Lagos. O anúncio foi feito após cobrança de comissões da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj).

Presidente da Comissão de Turismo, o deputado Welberth Rezende (PPS) comemorou a decisão e lembrou que o cumprimento da Lei foi tema de uma audiência pública realizada no início de maio. “Fizemos a audiência sobre o número excessivo de radares nessa rodovia, com a presença do DER, e a partir dela começamos a cobrar o cumprimento da lei. Enviamos ofício à Polícia Militar solicitando as informações sobre áreas de risco, que embasaram essa decisão. Agradecemos à atual gestão do Detro pelo apoio e pela decisão”, destacou.

Segundo Welberth, o grupo continuará discutindo os radares em rodovias de acesso a regiões turísticas do estado. “O radar tem caráter educativo, não pode estar escondido com o objetivo apenas de arrecadar”, completou.

Autor da lei e presidente da Comissão de Transportes da Alerj, o deputado Dionísio Lins afirmou que vai acompanhar o desligamento dos radares anunciados e cobrar a extensão da medida a outras rodovias. “Não queremos incentivar o desrespeito às leis de trânsito como o excesso de velocidade e o avanço de sinal, mas sim colaborar para reduzir o número de vítimas inocentes que acabam tendo que escolher entre ser roubado ou avançar o pardal e ser multado”, disse o deputado.

Áreas de risco

Os 16 radares que serão desligados nas duas rodovias foram definidos com base em informações passadas pelo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) da Polícia Militar a pedido da Alerj. Presidente do DER, Uruan Cintra de Andrade afirmou que os radares não serão apenas desligados, mas retirados das rodovias, e que outras estradas estaduais passarão por análise semelhante com base em dados sobre a violência.

Em vigor desde maio de 2017, a Lei Estadual 7.580 proibiu a instalação de novos radares em áreas de risco mapeadas e conhecidas por terem grandes índices de assaltos ou confrontos armados. A mesma lei também determinou a realização de estudos para a retirada gradual de radares já instalados que se encontrem em áreas de risco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here