No Cruzeiro, Gabriel começou no sub-17 e jogou até o Sub-23. Nesse tempo atuou profissionalmente, por empréstimo, no Botafogo (SP) e Rio Preto (SP) - Divulgação

O lateral-direito Gabriel Luiz, de 22 anos, está sem atuar oficialmente desde 2018, quando jogou, por empréstimo, no Rio Preto (SP). Atleta segue na busca por novas oportunidades

Sonho de muitos jovens brasileiros, se tornar um jogador de futebol profissional acaba sendo para poucos. Quem vê grandes nomes de brasileiros brilhando no esporte nacional e internacional, não imagina que essa porcentagem é muito pequena quando comparada a quantidade de talentos que acabam ficando sem oportunidades.

Uma das promessas da base do Cruzeiro (MG), o macaense Gabriel Luiz sabe bem o que é isso. Depois de passar boa parte da sua vida em um dos maiores clubes do país, o atleta segue na busca por novas oportunidades. Desde que deixou o time mineiro, o lateral-direito, que também atua como volante, diz que está há mais de um ano sem clube.

Acreditando no seu potencial, o jogador de 22 anos diz que ainda é cedo para desistir do sonho de seguir na profissão. Ele tem como inspiração grandes ídolos, como Rafinha, do Flamengo, e Daniel Alves, do São Paulo. Os dois atletas retornaram no ano passado ao futebol brasileiro depois de brilharem na Europa. “São grandes inspirações para mim” diz ele revelando com quem ele vê mais afinidade dentro de campo. “Acho que o meu estilo de jogo lembra muito o do Maicon Douglas, que já jogou pela Seleção Brasileira”, analisa.

A última atuação de Gabriel foi em 2018, quando jogou, por empréstimo, no Rio Preto, time do interior de São Paulo. Lá, ele disputou o Campeonato Paulista – Série A3. “Depois disso, retornei para o Cruzeiro para cumprir o resto de contrato e o clube decidiu por não renovar o meu vínculo. Foram quase sete anos lá, mas acabei voltando para Macaé. Na época, o meu então empresário, me orientou retornar para cá e esperar aparecer as novas oportunidades, o que acabou não acontecendo”, conta ele, que atualmente está também sem empresário.

A trajetória de Gabriel começou ainda cedo, em Macaé, na antiga escolinha do Flamenguinho. “O dono avaliou e decidiu me apresentar para empresários do ArtSul, time de Nova Iguaçu. Fiquei um ano lá”, relembra. Depois disso, o jogador acabou indo para o Cruzeiro, em 2012, onde iniciou na categoria Sub-17. “Joguei lá na base até o Sub-20. Em 2017 subi para o profissional, quando fui emprestado ao Botafogo de Ribeirão Preto (SP). Disputei a Copa São Paulo e a Série C do Campeonato Brasileiro. Depois disso, retornei a Toca da Raposa e fiquei atuando no Sub-23, onde joguei o Campeonato Brasileiro de Aspirantes. Depois disso, fui para o Rio Preto”, explica.

Gabriel ressalta que no início desse ano chegou a fazer testes no Macaé Esporte, que atualmente disputa a Série A do Carioca. Ele treinou junto ao elenco atual, mas acabou sendo dispensado pelo Leão. “Cheguei a estar na apresentação do time, mas não quiseram me manter e acabei voltando para a estaca zero”, conta.

Apesar de estar sem jogar desde 2018, Gabriel mantém os treinos regularmente. “Corro, pelo menos, três vezes na semana. É importante manter o físico para estar preparado quando a oportunidade aparecer. O jogador não pode nunca parar de treinar, independentemente de estar ou não em atividade”, avalia.

Nesse tempo sem jogar, ele, que é casado e pai de uma menina de dois anos e um bebê de nove meses, diz que buscou outras formas de trabalho para garantir o sustento da família. “Fiquei na Uber por um tempo, mas os gastos que eu tinha com a manutenção do veículo acabavam ficando mais altos do que o lucro. No fim eu estava pagando para trabalhar. Resolvi vender o carro e agora o meu foco é voltar a jogar”, diz ele, que tem apoio do pai. “Minha mãe é mais resistente, mas o meu pai sempre me apoia com esse sonho”, completa.

Quando questionado se existe um plano B, ele revela que no momento ainda não pensa nessa possibilidade, mas que pretende continuar na área, mesmo que de outra forma. “Se realmente não der certo, eu penso em ir para a área de Educação Física ou Fisioterapia. Mas ainda tenho esperança que vai dar tudo certo no futebol, que é o que eu amo de verdade”, conta ele.

Caso algum empresário ou clube tenha o interesse em avaliar o jogador, basta entrar em contato com ele através do telefone: (22) 99719-8988 ou pelo instagram (@gblluiz). Confira os melhores momento do jogador no link: https://www.youtube.com/watch?v=Lr0rhI4GTSQ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here