Preparador Físico fala sobre rotina puxada de jogos do Macaé Esporte

221

Jairo Corsino diz que avalia cada jogador após as partidas para direcionar a melhor recuperação e evitar lesões

Vindo de uma sequência de duas vitórias, o Macaé Esporte encara nesta quarta-feira (8), o Americano pela quarta e penúltima rodada da Seletiva do Campeonato Carioca 2020. O duelo será às 15h, em Cardoso Moreira.

A equipe vem de uma maratona de três jogos em apenas oito dias, acumulando duas vitórias (Nova Iguaçu e Friburguense) e uma derrota (América), um rendimento de 66,7%, sendo 100% de aproveitamento em casa. O Leão, atual vice-líder com seis pontos, busca a sua primeira vitória fora de casa na temporada.

Apesar de quatro dias de diferença entre o último jogo e o próximo, a equipe sabe do peso da competição e segue se preparando para os duelos decisivos que tem pela frente na busca da classificação para a fase principal da elite do estadual.

Tecnicamente, o comandante da equipe, Mário Júnior, faz os últimos ajustes visando as partidas com Americano em Cardoso Moreira e Portuguesa. Já a comissão técnica tem se mostrado satisfeita com a resposta dos jogadores dentro de campo, como explica o preparador físico, Jairo Corsino.

“O time vem respondendo muito bem, superando todas as expectativas, pois alguns jogadores chegaram duas semanas após o início da pré-temporada, e tenho tido muito cuidado com os jogadores acima de 35 anos. O Gedeil tem me dado uma grande resposta fisicamente. No jogo contra o Friburguense jogamos com menos um, durante trinta minutos com campo pesado, suportamos muito bem”, avalia o profissional.

O Macaé viaja até Cardoso Moreira para encarar o Americano na quarta-feira e encerra a participação na seletiva no sábado (11), diante da Portuguesa, ainda com local a ser definido. Jairo Corsino garante que o grupo está preparado para essa sequência e exalta o planejamento montado para esse momento decisivo.

“O planejamento foi feito no início, pois sabíamos que teria essa semana crucial para nós. Nesse momento, o descanso faz parte do processo. Eu controlo o desgaste físico um a um através de protocolos que me dão uma resposta de risco de lesão, mas a grande verdade é que precisamos descansar pois faremos uma viagem desgastante até Cardoso Moreira. Esse será, com certeza, um jogo muito duro, após retornamos veremos o caso de cada jogador, porque no sábado já terá outra “guerra” contra a Portuguesa. O trabalho de força é a base do meu trabalho, até mesmo no pós-jogo. Consigo assim diminuir ao máximo o risco de lesão. Jogadores que não vem atuando os 90 minutos, a prioridade é treinarmos com muita intensidade com bola, além de ter o que chamo de pirâmide primordial do meu trabalho: força – velocidade – resistência”, afirmou o preparador físico.

Corsino lembra que o trabalho tem que ser dividido entre aqueles jogadores que ainda suportam uma carga maior de trabalho e aqueles que precisam de descanso.”O ideal é olhar para o grupo separadamente, pois não é um grupo homogêneo. Tenho conversado muito com cada jogador para explicar a necessidade do trabalho. Descanso para quem precisar e trabalho forte para os demais. A preocupação maior é com os atletas mais velhos, faço um trabalho específico para eles que envolve o trabalho de força especial aliado a um trabalho de prevenção (core)”, finalizou Jairo Corsino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here