Os carnavalescos solicitaram aos vereadores apoio para a liberação de recursos municipais para o Carnaval deste ano

Vereadores remanejaram verba de shows para reforçar os blocos que têm mais cinco mil integrantes

Apenas quatro dos sete blocos de Carapebus irão sair as ruas neste Carnaval. Isso porque a Prefeitura não irá repassar a verba de R$ 50 mil destinada à subvenção do evento, porque a Secretaria de Turismo não entregou no gabinete, os protocolos 1056 e 1057, de 6 de fevereiro, onde é solicitado o repasse da verba. O pedido foi protocolado junto com documentos autenticados de registro e funcionamento da Associação das Entidades Carnavalescas de Carapebus, entidade legalizada e representativa da maioria das agremiações. A verba é uma emenda da Câmara de Vereadores para atender na organização das unidades carnavalescas.

O presidente da Associação das Entidades Carnavalescas de Carapebus, Paulo Cesar Dias, que esteve na Câmara solicitando apoio dos vereadores para liberação do repasse lamentou esse descumprimento do pedido, já que o dinheiro está disponível apenas para esse evento e todos os documentos legais exigidos foram apresentados no dia 6 de fevereiro.

“Quem perde é a cidade. Esse dinheiro seria usado na confecção de abadas, compra de instrumentos e outros serviços. Com isso a economia local receberia um reforço de caixa. E também o turismo perde, porque nossos blocos são tradicionais e arrastam foliões de outros municípios e isso representa consumo de alimentos, locação de residências além de ser uma diversão barata e tradicional”, destacou Paulo.

O vereador Luciano (Deuti) Sardinha é um dos membros ativo do bloco das Piranhas e lembrou que, o Carnaval não representa apenas a alegria momesca, mas também a movimentação da economia e o incremento do turismo. Somente em Carapebus, os sete blocos registrados na associação chegam a levar para as ruas, nada menos do que cinco mil foliões. Nos dias de desfile dos blocos, as ruas centrais da cidade superlotam de pessoas. O comércio, desde a alimentação a bebida apresentam um crescimento de mais de 30% nesse período.

“É emprego para o vendedor ambulante que traz sua bebida ou salgado para vender na avenida. É o dono de confecção ou mesmo as costureiras na confecção de fantasias e abadas. É o pessoal de transporte, que faz a movimentação dos componentes e dos instrumentos. Enfim, é um conjunto. O Carnaval é tempo de ganhar, tanto o comércio quanto a cidade, já que atraí turistas para pousadas, hotéis e até casas de aluguel”.

O turismo nesse período é forte, devido a tradição da qualidade dos blocos, como o do Boi Juruba, que faz parte do Mapa de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. Este ano, dos blocos oficiais desfilarão apenas o Boi Juruba, na Praia de Carapebus; o Piranha, no Centro. O Biriteiro ficará concentrado em Ubás e o Praiano na praia. O bloco Maria João, que é independente está programado para sair pelas ruas do Centro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here