Após o contato da nossa equipe, Cedae diz que foi ao endereço citado e constatou que o abastecimento está normalizado no bairro - Foto Wanderley Gil

Segundo os moradores, em alguns pontos o problema já acontece há cerca de um mês, obrigando a compra de caminhões-pipa.

Cadê a água? Essa é a pergunta que muitos macaenses têm feito nas últimas semanas. O problema do abastecimento é antigo e segue sem uma solução, pelo contrário, vem se agravando com o passar dos anos. E é nessa época do ano, quando o consumo aumenta, que a situação tende a piorar. Todos os dias o jornal O DEBATE recebe várias reclamações. Essa semana, novos relatos de moradores do Riviera Fluminense chegaram até a nossa equipe de reportagem.

Segundo eles, em alguns trechos o abastecimento está precário há mais de um mês. A moradora da Rua Curitiba, antiga E-18, Elisângela diz que nem ela, nem os seus vizinhos, sabem mais a quem recorrer para resolver o problema.

“Tem vários lugares aqui que o único jeito de ter água é por meio de caminhão-pipa. A situação está insustentável”, diz ela que já procurou os responsáveis, mas sem sucesso. “Abri uma reclamação na própria Cedae e também fiz a denúncia no Ministério Público”, relata.

A nossa equipe entrou em contato com a Nova Cedae. Segundo ela, uma equipe realizou vistoria na quinta-feira (10), no endereço citado e diz que constatou que o abastecimento encontra-se normalizado. A companhia enviou para o jornal O DEBATE um suposto vídeo mostrando a água com pressão considerável chegando no imóvel.

A prefeitura também foi procurada, no entanto, até o encerramento desta edição a Secretaria de Comunicação não havia se pronunciado sobre o caso.

A questão do abastecimento vem sendo alvo de polêmicas não é de hoje. No final do mês passado, a Procuradoria Geral do Município ingressou com Ação Coletiva na 1ª Vara Cível da Comarca de Macaé exigindo que a Nova Cedae regularizasse, de imediato, o sistema de abastecimento de água na cidade.

A medida solicitava ainda à Justiça a suspensão da cobrança da tarifa de água no período em que a concessionária assume a incapacidade de atender, de forma plena, a população macaense, por não adotar as medidas necessárias de assegurar o fornecimento de água diante de qualquer intercorrência.

Na ocasião, a Cedae alegou que o problema era decorrente do período de estiagem, que provocou a redução da captação no Rio Macaé – reduzindo o abastecimento no município. A companhia ainda solicitou o consumo consciente da população enquanto buscava soluções junto aos órgãos, como o Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Apesar de ser alvo de reclamações da população, a Cedae diz que os clientes podem entrar em contato pelo 0800 282 1195 para solicitar o abastecimento por caminhão-pipa.

Denuncie o problema

Com o aumento nas reclamações referentes ao abastecimento, o jornal O DEBATE está criando um canal com os seus leitores. Quem estiver com problemas referente a água, pode enviar uma mensagem pelo WhatsApp: (22) 99609-9064. Na hora é importante, além de informar há quanto tempo o problema está acontecendo, o nome e o endereço completo. Esse contato também poderá ser usado para outras denúncias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here