Em Vitória, novo Secretário da Aviação Civil garante permanência da base macaense em leilão
Maxwell Vaz (à esq.) se reuniu como Ronei Saggioro, em Vitória, acompanhado de Edmílson Gonçalves

Após audiência em Vitória, novo Secretário da Aviação Civil garante permanência da base macaense em leilão

A restruturação do pavimento da pista do Aeroporto de Macaé e o novo terminal, com capacidade para receber 1 milhão de passageiros por ano, serão oficialmente inaugurados em fevereiro. A informação foi repassada nesta terça-feira (29) pelo novo Secretário de Aviação Civil (SAC), Ronei Saggioro Glanzmann, que garantiu também a permanência da base macaense no projeto de concessão, que em março cumprirá etapa decisiva.

De acordo com o secretário, a pista do Aeroporto, que passa a contar com nível de classificação de segurança adequado para receber aeronaves de até 114 passageiros, e o terminal de passageiros, cuja modernização acompanha a evolução econômica da cidade, fazem parte das primeiras etapas de consolidação da base macaense como importante modal para o segmento de petróleo e gás. “Vamos entregar as obras antes do Carnaval”, disse o secretário.

Em Vitória, Ronei garantiu também a conciliação junto ao governo do Espírito Santo, que decidiu retirar a ação movida na Justiça para separar as concessões dos Aeroportos de Vitória e o de Macaé, que compõem o bloco Sudeste, de acordo com o processo iniciado ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer.

“Vamos dar continuidade à internacionalização do Aeroporto de Vitória e também atenderemos demandas dos Aeroportos de Linhares e Cachoeiro do Itapemirim. Isso resolve o acordo com o governo do Espírito Santo. Já Macaé também terá grande participação na concessão, se consolidando como polo das atividades do petróleo no Estado”, apontou Ronei.

O Secretário de Aviação Civil se reuniu em Vitória, com o vereador Maxwell Vaz (SD) que, na segunda-feira (28), já tinha conversado com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico do Espírito Santo, afim de acabar com o impasse sobre a concessão. Quem também participou do encontro foi Edmílson Gonçalves, que representou as instituições empresariais de Macaé.

“Mais uma vitória para a nossa cidade, garantida através da articulação política e do diálogo. Agradecemos ao Secretário de Aviação Civil pela sensibilidade de defender as causas de Macaé, reconhecendo o Aeroporto como um modal fundamental para a logística e desenvolvimento do petróleo”, disse Maxwell.

Ronei também confirmou a data de realização do leilão que ofertará a gestão do Aeroporto de Macaé, que ocorrerá na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), no próximo dia 15 de março.

1 COMENTÁRIO

  1. É profundamente lamentável que após tantos milhões investido, nossas autoridades construíram uma pista de somente 1.200 metros de comprimento por 30 de largura. gabarito usado no ano de 1950 para as operações do DC-3 e 32 passageiros. Atualmente, estando a pista ao nível do mar, pista seca e com temperatura de 15C, um turboélice de 70 lugares necessita de 1.376m para decolar conforme o manual do fabricante, dados disponíveis na internet para qualquer pessoa consultar. 1.200m de pista em Macaé foi um desperdício de oportunidade de se criar uma boa infraestrutura aeroportuária. Operar em Macaé com jato de 114 lugares significa margem de segurança zero ou chamar o cisne negro para pousar na cidade.

    Considerando-se que Macaé receba 1 milhão de passageiros com a aeronave de 70 lugares, (maior aeronave que poderá operar em temerários 1.200m) isso representa 2.778 passageiros/dia e 39 voos/dia com a aeronave de 70 lugares e todos os 70 lugares ocupados. Impossível alcançar essa marca.
    Há 5 anos, a frota brasileira de aeronaves de 70 lugares era de 54 aeronaves. Hoje, é de 32 unidades. Os turboélices de 70 lugares não são prioridade para nenhuma empresa aérea As congêneres estão novamente em processo de renovação de frota para os modelos jatos Airbus A220 e E195-E2 de 135 lugares ou modelos maiores de 180 passageiros. Novamente, a pista de Macaé ficará aquém das necessidades da moderna aviação.

    A ótima notícia é que todo o complexo aeroportuário será finalmente privatizado, mantendo-se assim, a perspectiva de investimentos e ampliações. Macaé merece uma pista maior e atendimento com a nova geração de jatos. Saudações & Bons Voos,

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here