Fotos divulgação

Iza Vicente teve a companhia das ex-vereadoras Marilena Garcia e Ivânia Ribeiro

Uma noite de debates, histórias e propostas. O objetivo é fazer com que as mulheres ocupem cada vez mais os espaços de poder e de decisão em Macaé. Assim foi a audiência pública da Câmara dos Vereadores, presidida por Iza Vicente (Rede), que aconteceu nesta terça-feira (9). Devido aos protocolos de segurança, a participação do público ocorreu no chat aberto da transmissão online.

Única vereadora da atual Legislatura, Iza falou sobre os desafios de estar na política. “A aparência de uma mulher com mandato acaba ganhando mais importância do que os projetos que ela defende. Essa deslegitimação não acontece com os homens. Além disso, muitas tentam disputar eleições, mas recebem uma estrutura mínima para a campanha eleitoral.”

Entre as convidadas, a diretora geral de Assuntos Legislativos da Câmara, Deila Barcellos, elogiou o debate e disse estar orgulhosa por ver servidoras em postos de destaque. “Das nove diretorias, cinco estão sob a responsabilidade de mulheres nesta Casa. Sabemos dos desafios, mas somos capazes”, acrescentou.

A audiência contou com intérpretes de libras, permitindo que pessoas surdas acompanhassem o debate. Os vereadores Thales Coutinho (Podemos) e Amaro Luiz (PRTB) também estiveram presentes, assim como profissionais do meio acadêmico, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher.

Violência

De acordo com a coordenadora do Centro Especializado em Atendimento à Mulher (Ceam), Jane Roriz, um dos principais problemas é a subnotificação dos casos. “Muitas vezes, a violência acontece no lugar onde consideramos ser mais seguro, que é a nossa casa. Em 2020, realizamos 1043 atendimentos, um número inferior ao de 2019. Reforçamos que fazer a denúncia é muito importante.”

O Ceam está localizado na Rua São João, 33, no Centro (ao lado da Delegacia Legal). O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Os contatos telefônicos são: (22) 2796-1045 e 2791-6620. Há também o número (22) 99817-0976 (Whatsapp).

O número da Central de Atendimento à Mulher é o 180. Já a Patrulha Maria da Penha (24h) tem como contatos: 0800 282-2108 ou (22) 99826-6263 (Whatsapp ou chamada a cobrar, se houver necessidade).

Iniciativas

Na agenda do Mês da Mulher, Iza protocolou um projeto de lei que cria o Programa de Acolhimento à Mulher Vítima de Violência. A expectativa é que os debates sobre a proposta aconteçam já nas próximas sessões.

Além disso, houve unanimidade na defesa para que Macaé tenha uma sede própria para a Delegacia da Mulher. “Devemos assegurar, no orçamento de 2022, recursos para a construção de creches, permitindo o retorno de muitas mães ao mercado de trabalho”, acrescentou.

Encontro histórico

A realização da audiência também foi marcada pelo encontro de três gerações de vereadoras macaenses. Primeira mulher eleita de toda a região, Marilena Garcia falou sobre os desafios de entrar na política há quase quatro décadas.

“Por muitas vezes, tive que me posicionar de maneira firme para ser ouvida. Vi de perto a transformação social, política e econômica de Macaé. Somos mais de 50% da sociedade, mas quantas prefeitas temos? Quantas vereadoras foram empossadas? Preciso lembrar que a única presidenta deste país sofreu um golpe”, frisou.

Durante uma das falas, Ivânia lembrou que a primeira advogada a exercer a função no país foi a macaense Myrthes Gomes de Campos (1875-1965). “Devemos honrar esse legado. Em 1993, como vereadora, não quis comemorar o Dia da Mulher. Em vez disso, decidi lutar porque o nosso papel não é o de submissão. É hora de garantir a nossa independência, de virar o jogo.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here