Em Macaé, assassinatos crescem 108% nos primeiros quatro meses do ano em comparação ao mesmo período de 2019 - Arquivo

Dados do ISP apontam que no mês de abril Macaé teve aumento de 90% em tentativa de homicídio e Rio das Ostras, disparou em assassinatos com 125%.

Nem o isolamento social para prevenir a disseminação do coronavírus impediu o aumento das taxas de homicídios e tentativas de assassinatos nas cidades de Macaé e Rio das Ostras. Na última quarta-feira (27), o Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro divulgou os dados mensais de criminalidade dos 92 municípios do interior do Estado e a estatística revela que Macaé teve aumento na taxa de homicídios e tentativas, enquanto a cidade de Rio das Ostras, teve aumento disparado em assassinatos, porém teve uma leve queda na tentativa de homicídio.

Pelo quarto mês consecutivo, os números de crimes não param de aumentar, se compararmos aos dados do ano passado. Em Macaé, o ISP registrou no mês de abril nove assassinatos contra oito no mesmo período de 2019, um aumento de 12%. Enquanto isso, a tentativa de execução disparou na cidade, chegando a 90%, segundo dados, que apontam 10 registros de tentativas no mês passado, contra um caso em abril de 2019.

Já o município de Rio das Ostras com 145 mil habitantes a situação é preocupante. A criminalidade tem se instalado com frequência, principalmente em áreas dominadas pelo tráfico de drogas.

Dados do ISP apontam que a cidade teve uma curva elevada na taxa de assassinatos no mês passado, e chegou a 125%. Abril foi um dos meses considerados violentos no município com 9 registros de assassinatos contra 4 casos no mesmo período do ano passado.
Enquanto isso, o número de tentativas de homicídios na cidade caiu de 4 para 3, no mesmo período do ano passado, ou seja, uma queda de -25%.

No entanto, o número de homicídios pode ser maior que o divulgado. Isto porque, quando a vítima é atendida com vida, o caso é registrado como tentativa de homicídio, mesmo que a pessoa venha a morrer posteriormente em decorrência do crime.

Para a Polícia Civil, o tráfico e o uso de drogas estão relacionados à maioria dos homicídios, embora não seja possível informar o número exato de casos com estas motivações. Os crimes passionais também têm grande parcela dentro dos registros.

Em Macaé, no acumulado deste ano (de janeiro a abril), o aumento no número de homicídios chegou a 50 ocorrências, mais que o dobro do mesmo período do ano passado, que chegou a 24 assassinatos, ou seja, um aumento de 108% na taxa de homicídios.
As medidas de isolamento social para combater a pandemia do novo coronavírus (e a consequente diminuição do fluxo de pessoas nas ruas), determinadas por decretos do Governo do Estado desde o dia 16 de março, não impediram o aumento do número de homicídios nos municípios.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here