O Gabinete Integrado de Enfrentamento da Pandemia Covid-19 (Giac) enviou nesta quarta-feira (20) ao Instituto Butantan um ofício em que solicita informações sobre o fornecimento do insumo necessário à produção da vacina Coronavac em território nacional. Assinado pela coordenadora interina do Giac, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, o documento questiona se há atraso na entrega do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) pelo laboratório Sinovac Life Science e, em caso positivo, qual a expectativa da chegada de novos lotes do material.

O ofício é uma resposta a pedidos apresentados por procuradores da República e tem como origem a divulgação, pela imprensa, de informações segundo as quais haveria atraso no fornecimento. Pedido semelhante havia sido feito em relação à Fiocruz, mas, nesse caso, a própria fundação já informou oficialmente a alteração na data de entrega dos insumos pela farmacêutica AstraZeneca. A entrega inicialmente prevista para 9 de janeiro, foi adiada para o dia 23 do mesmo mês. De acordo com a Fiocruz, com o atraso, as primeiras doses da vacina devem ser liberadas para o Programa Nacional de Imunização (PNI) a partir de março.

Em relação ao ofício encaminhado ao presidente do Butantan, Dimas Covas, o Giac também questiona qual a expectativa de produção para o primeiro semestre e para todo o ano de 2021. A resposta oficial do instituto – quando for entregue ao Giac – será analisada e poderá embasar a adoção de providências pelo colegiado.

Secretaria de Comunicação Social
Procuradoria-Geral da República

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here