Macaenses reivindicam inclusão social e preservação ambiental

277
As mães pediram a realização de uma nova audiência pública na Câmara Municipal

Na Tribuna Cidadã foram defendidas as causas dos autistas e das corujas da Praia Campista

As mães e representantes do movimento Movidos Pelo Autismo (Mopam), Caroline Mizurine e Lúcia Anglada estiveram novamente na Tribuna Cidadã na última quarta-feira (29), na Câmara Municipal de Macaé. Elas voltaram a reivindicar melhorias na educação e na saúde para autistas e pessoas com deficiências. Na ocasião, a pedagoga Jane da Costa também apresentou a Escola Viveiro a Céu Aberto, um projeto de educação ambiental que visa a proteção das corujas-buraqueiras e seu ecossistema.

Conforme esclareceu Caroline, essa é a quarta vez que o Mopam vem ao Legislativo com o propósito de conseguir inclusão efetiva dos autistas nas escolas. “Muitos colégios do município ainda não possuem salas multifuncionais e outros que dispõem desse espaço não conseguem realizar dois atendimentos semanais, que é o mínimo recomendado.”

Caroline também frisou que não basta aceitar o autista na escola, é preciso que a sua inclusão seja efetiva. Isto é, dar condições de aprendizado para todos os alunos. “Entendemos que nem tudo é preconceito. Muitas vezes é falta de informação. Por isso fazemos esse trabalho com o Mopam, realizando palestras nas escolas e ocupando espaços como a Tribuna Cidadã”.

Já Lúcia Anglada denunciou a falta de terapeutas na saúde para atender pessoas com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). Para ela, o ideal seria ter um centro de referência no tratamento de pessoas com TEA. Contudo, enquanto isso não acontece, é preciso aumentar o número de profissionais para dar conta da demanda. “Buscamos mais empatia do poder público, autoridades e população para essa causa.”

As mães ainda pediram a realização de uma nova audiência pública. Dessa vez, com maior presença dos parlamentares e de algum representante do Executivo. O vereador Márcio Bittencourt (MDB) – quem presidiu a Tribuna e a última audiência pública sobre o tema – declarou total apoio à causa.

Maxwell Vaz (SD), autor de duas emendas ao orçamento municipal aprovadas em 2016 e 2017, para a criação de uma clínica-escola especializada no tratamento do autismo na cidade, também se disse sensível à causa. “Vou continuar cobrando do Executivo a concretização de tais propostas, já aprovadas e com previsão orçamentária”.

SOS Corujas-Buraqueiras

O segundo momento da Tribuna Cidadã foi usado por Jane Ribeiro para chamar a atenção dos presentes para a necessidade de proteger as corujas-buraqueiras que vivem na restinga da Praia Campista. “Há pelo menos seis corujas que vivem naquela área e estão se reproduzindo. Se não fizermos nada para protegê-las, elas podem desaparecer desse ambiente.”

Segundo Jane, a maior ameaça atualmente são as linhas chinesas e o cerol, usados para soltar pipa. Mas há também quem use o espaço para a recreação e a prática esportiva, ameaçando as aves que vivem em buracos na terra. “Sabemos que não há uma praça para o lazer dos frequentadores daquela região, por isso queremos legalizar o projeto e garantir a proteção do solo, da restinga e das espécies que vivem ali.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here