A dança de quadrilha sempre anima os adeptos das festas juninas - Festa

A programação começa no próximo dia 21 e segue até o dia 24 de junho, na Praça Veríssimo de Melo

Padroeiro do município, São João Batista é considerado um símbolo da humildade e devoção, além de ensinar ao mundo a conversão dos pecados através da purificação das águas. Em Macaé, o homem considerado “Primo de Jesus” é homenageado em uma das comemorações juninas mais esperadas da cidade.

A festa de São João Batista será realizada na Praça Veríssimo de Melo, no Centro da cidade, com missas e sorteios de vários prêmios. Organizada pela paróquia São João Batista, o evento tem o apoio da prefeitura. A renda da festa será revertida para as obras sociais, como doação de cestas básicas para famílias carentes e atendimentos necessários para Recanto dos Idosos, que fica localizado no bairro São José do Barreto.

A programação tem início na sexta-feira (21) e segue até segunda-feira (24), dia do santo e feriado municipal. A programação começa às 17h, com a Santa Missa e nos outros dias vão acontecer shows e leilões.

A festa termina na segunda-feira (24), às 8h, com a Santa Missa. Às 18h, a Missa Tríduo e, às 19h30, Terço dos Homens.

São João Batista, o profeta

Segundo o Evangelho de Lucas, João nasceu numa cidade do reino de Judá, filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Isabel, estéril, já idosa, viu sua vontade de ter filhos satisfeita, quando o anjo Gabriel anunciou a Zacarias que a esposa lhe daria um filho que deveria se chamar João.

Ao atingir a maturidade, João Batista foi para o deserto e, nesse ambiente, preparou-se, através da oração e penitência, para cumprir sua missão. Não cessava jamais de chamar os homens à conversão. João Batista passou a ser conhecido como profeta. Alertava o povo para a proximidade da vinda do Messias e praticava um ritual de purificação corporal, por meio de imersão dos fiéis na água, para simbolizar uma mudança interior de vida. Até Jesus foi batizado por ele.

Acusado de ser o mentor de uma revolução, João foi preso e degolado por Herodes Antipas, por denunciar a vida imoral do governante. Salomé, filha de Herodíades, mulher de Herodes, pediu a este, por ordem da mãe, a cabeça do profeta, que lhe foi servida numa bandeja. O corpo de João, segundo o evangelho de Marcos, foi enterrado por seus discípulos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here