Linha Azul pontua série de problemas

343

Assaltos, buracos, atropelamentos são principais problemas na principal via expressa que deixa população preocupada com a segurança

 

Moradores que residem às margens da Linha Azul reclamam da falta de manutenção na via expressa, que liga os bairros Botafogo até Ajuda de Baixo. No último fim de semana, o local foi palco de vários acidentes graves envolvendo quatro pessoas da mesma família que estavam pedalando no acostamento. O carro que trafegava em alta velocidade perdeu a direção e atropelou as vítimas e o motorista fugiu sem prestar socorro.

Uma das vítimas foi uma gestante que teve a perna quebrada, além de duas crianças que tiveram ferimentos nas pernas e o marido que teve ferimentos nas costas e cabeça. O Corpo de Bombeiros foi acionado e socorreu as vítimas encaminhando para o HPM.
As colisões chamaram a atenção para duas deficiências: buracos em alguns trechos na via, falta de acostamento e abuso por parte dos motoristas quanto ao limite de velocidade que é permitida no local que é de 80 km por hora.

E não são só os moradores da localidade que reclamam das condições precárias da via expressa. Os motoristas também lamentam da falta de manutenção e de segurança, já que à noite a iluminação é precária em quase todo o trecho, sendo atrativo para bandidos que têm praticado diversos assaltos na proximidade de Verdes Mares e Ajuda de Baixo.
“Para mim é difícil, porque nesse tempo de frio tem neblina à noite e se torna perigoso. O perigo é acidente, se alguém fizer loucura pode danificar um pneu e ter até batida frontal“, disse um motorista.

Porém, a pista não é o único problema. A estrada também não tem acostamento. O caminhoneiro Osni César Camargo diz que o caminhão já sofreu falha mecânica devido a problemas, e pela falta de acostamento não tinha lugar para parar com segurança.
Em alguns trechos, a sinalização do chão também está apagada em vários pontos, o que deixa as ultrapassagens arriscadas. Os buracos também fazem parte do caminho.

Outro motivo de acidentes é o acúmulo de água da chuva na pista e no acostamento. Como no entorno da via há vários terrenos de terra batida, a lama acumulada transborda no asfalto criando um efeito “sabão” e fazendo com que os motoristas derrapem na pista.
Outro problema, os alagamentos crônicos ocorrem também em ruas paralelas à Linha Azul. Em alguns bairros bastam algumas horas para alagar um espaço de circulação de pedestres. Na comunidade Piracema, às margens da via, moradores já se acostumaram a viver em meio à lama.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here