No final do ano passado, a nossa equipe fez alguns registros de parte da estrutura enferrujada

Ninho de insetos na trave e incêndio em refletor ganharam repercussão nacional no último domingo

No último domingo (20), o Estádio Cláudio Moacyr de Azevedo, popularmente conhecido como Moacyrzão, recebeu a partida entre Cabofriense e Botafogo, válida pela primeira rodada da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. Um jogo marcado pela derrota alvinegra, por 3 a 1, e também por cenas inusitadas que ganharam repercussão nacional. Antes mesmo do juiz apitar, um imprevisto atrapalhou o começo do jogo. Na trave, uma grande quantidade de insetos, que até então seria de marimbondo, deixou os jogadores em campo preocupados, que reclamaram da situação.

Após o final da partida mais um problema. Um dos refletores do estádio pegou fogo. Apesar de ninguém ter ficado ferido, a situação alerta para as condições precárias do Moacyrzão, cuja a manutenção é de responsabilidade da Prefeitura de Macaé. O problema chegou a ser noticiado no Programa Fantástico, da TV Globo. Na internet, várias pessoas repercutiam a situação com memes e piadas. Apesar disso, tais imprevistos apenas mostram a realidade dos espaços administrados pelo município, como o Ginásio Poliesportivo, interditado por riscos estruturais.

E não é de hoje que situações preocupantes são reportadas pelo jornal O DEBATE. Em janeiro de 2018, dois incidentes, sem vítimas, ocorreram no Moacyrzão. Na época, parte da estrutura caiu, o que impossibilitou a realização de alguns jogos. Lembrando que no local também funciona uma escola de educação infantil do município.

Em fevereiro do mesmo ano, a Frente Parlamentar Macaé Melhor enviou à Promotoria de Tutela Coletiva, do Ministério Público Estadual (MPE), um ofício solicitando fiscalização às instalações do Moacyrzão. No documento, os parlamentares destacaram ainda que o estádio já havia sido interditado em 2017 por não cumprir normas de segurança, exigidas para a realização de partidas de futebol do Campeonato Brasileiro.

Depois de ter ficado interditado ao longo de 2017, no meado do ano passado os jogos voltaram a ser realizados no local depois que o Corpo de Bombeiros emitiu o Laudo de Prevenção e Combate a Incêndio, documento que faltava para que os torcedores pudessem voltar a frequentar o estádio.

No final do ano, a nossa equipe, durante a cobertura de um dos jogos do Campeonato Brasileiro – Série D, fez alguns registros de problemas estruturais. Parte da sustentação da cobertura das arquibancadas, que é de ferro, estava enferrujada e com pedaços corroídos. A situação foi denunciada por alguns torcedores que assistiam ao jogo. A nossa equipe de reportagem entrou em contato com a prefeitura que esclareceu que o local, assim como todos os outros estádios, recebe vistoria pelo Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE). Três horas antes da partida entre Cabofriense e Botafogo, o Moarcyzão foi vistoriado e a segurança do espaço para o recebimento de torcedores e jogadores foi atestada.

Sobre o problema no refletor, a administração do estádio informou que, assim que foi identificada a ocorrência, o sistema foi desligado, sem riscos e prejuízos à realização da partida. Ela ressaltou que ontem (21), o equipamento já estaria sendo substituído.

Em relação aos insetos, ela explicou que na verdade não se tratava de marimbondo, mas sim de uma espécie de abelha. A administração afirma que o enxame apareceu no próprio domingo e, ontem, inclusive, já não estava mais lá, sem que tivesse havido interferência para retirada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here