A redução da burocracia na gestão de licenciamentos assegura a relevância e viabilidade de projetos como o Tepor - Divulgação

Através da cooperação de trabalho entre as secretarias responsáveis para analisar e licenciar projetos diretamente ligados à base econômica da cidade, o governo municipal estabeleceu, nesta semana, compromisso que assegura celeridade e transparência em processos que viabilizam cerca de US$ 20 bilhões em investimentos e asseguram a geração de milhares de oportunidades de trabalho para Macaé.

Cumprindo diretrizes previstas pelo prefeito Welberth Rezende dentro do plano para os 100 dias de governo, a redução da burocracia na gestão de licenciamentos assegura a relevância e viabilidade de projetos como o Tepor – Terminal Portuário de Macaé e as novas usinas termelétricas já em fase de instalação no município.

Esse compromisso foi estabelecido entre as secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Ambiente e adjunta de Obras, junto às empresas Azul Linhas Aéreas, a gestão do Aeroporto de Macaé e a EBTE Engenharia que é responsável pelo Complexo Logístico e Industrial de Macaé (Clima), além da gerência regional da Nova Cedae, em reunião realizada na terça-feira (2).

No encontro, representantes do governo e das empresas reconheceram que a agilidade no andamento desses processos fortalece o ambiente favorável de negócios da cidade, garantindo segurança a grupos de investidores que enxergam Macaé como um dos pilares da indústria de óleo e gás global.

“Macaé vive hoje o potencial de ampliar a sua referência no mercado do petróleo, ao se tornar também um polo de transformação de gás em energia. E a transparência e agilidade desses processos são fundamentais para que todos esses projetos possam se tornar realidade”, defende o consultor técnico do Tepor, José Carramenha.

A retomada dos investimentos na cidade já é caminho traçado pelo governo, logo nesse primeiro mês de gestão.

“Trabalhamos para estabelecer um diálogo sério com a classe empresarial, destacando a nossa iniciativa em defender projetos que são relevantes para a economia da cidade. O Tepor é um portfólio essencial para defender outros investimentos importantes para a cidade, como a Rota 5 do gás, e a expansão da nossa infraestrutura”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Vianna.

Os secretários municipais adjunto de Políticas Energéticas, Júnior Luna, e de Ambiente, Rodolfo Coimbra, reiteraram a importância deste compromisso em garantir o fortalecimento da economia da cidade, dentro das diretrizes de sustentabilidade e responsabilidade social.

A reunião contou com o apoio e participação do vereador Luciano Diniz, que preside a Comissão Permanente de Obras da Câmara, e, também, relator da Comissão de Desenvolvimento Econômico do Legislativo.

1 COMENTÁRIO

  1. A teoria do Queijo Suíço explica as falhas no desenvolvimento do Tepor em Macaé. O executivo de Macaé foi inoperante + o executivo do estado foi inoperante + o executivo federal não existe de tão ruim + Lava Jato + situação internacional + carros elétricos + falta de divisão por fase do Tepor, etc. O Tepor é uma super obra que exige vultuosos investimentos maiores que do Porto do Açu. O tempo e o governo federal conspira contra a obra. O tempo por que ficam empurrando com a a barriga o início da obra e o governo federal porque quer acabar com a Petrobras não importa o custo da ação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here