Reunião na ACIM avalia dados apresentados pela Abespetro

Líderes de instituições empresariais se mobilizam para estimular negócios e devolver empregos à população

Após o próprio mercado do petróleo buscar caminhos e encontrar oportunidades para vencer o desafio da crise, e garantir a construção de um novo cenário de oportunidades, as instituições empresariais de Macaé buscam agora a garantia de participação de todos os segmentos que representam a base da economia da cidade, neste novo ciclo de prosperidade que já começa a ser desenhado, tanto pelo petróleo, quanto pelo gás.
E com o sucesso do posicionamento político que forçou as mudanças necessárias na legislação nacional, permitindo a flexibilização das regras de leilões e concessões, tornando o mercado do petróleo nacional pouco mais competitivo, as instituições buscam agora desempenhar o mesmo papel em Macaé, transformando o desenvolvimento econômico em uma pauta prioritária, no momento em que a visão sobre o cenário eleitoral da cidade está baseada apenas em duas vertentes de poder.

Nesta semana, duas reuniões promovidas pela Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), presidida pelo empresário Francisco Navega, junto as demais representantes das instituições que compõem o Repensar Macaé, demonstraram o esforço que a classe empresarial local tende a construir um projeto focado no fortalecimento das entidades de classe, que por décadas e até século são dedicadas a tornar a cidade cada vez mais forte, no campo econômico e também político.

Em um desses encontros, dados apresentados pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (Abespetro) indicaram um futuro promissor de investimentos em diferentes áreas para a cadeia produtiva de óleo e gás.

“Manter esta relação com as instituições nos permite avaliar dados e buscar indicadores que ajudam a preparar as empresas locais para atender demandas das grandes empresas. Esta conexão gera negócios e garante também a criação de postos de trabalho”, avalia Navega.

 

Recuperação do Comércio

Navega lançou propostas para estimular o comércio, no Café Empresarial da ACIM

Também pela ACIM, surge uma pauta importante para o fortalecimento de uma das bases da economia da nossa cidade: o comércio.

Nesta semana, o primeiro Café Empresarial realizado pela Associação em 2020 abriu a agenda de discussões sobre um planejamento fundamental para a sobrevivência do setor varejista: linhas de crédito.

Para Navega, é fundamental que as instituições financeiras criem propostas específicas para o comércio, de índices, juros e taxas para operações de vendas a crédito, através da utilização das maquininhas.

“O comércio sempre foi o pilar de geração da economia, porque movimenta fluxo de dinheiro muito grande. Por muito tempo, essas instituições financeiras lucraram e se consolidaram com esse movimento. Está na hora desta relação ser retribuída. O comércio precisa de crédito, assim como o consumidor. Só assim a economia se fortalecerá”, avalia Navega.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here