odebateon
Com sua voz afinada e estilo próprio, o cantor consegue ir do grave ao agudo de uma frase musical a outra. Filipe esbanja versatilidade no novo show, incorporando desde uma sereia estilizada a um índio futurista.

O Teatro Sesi Macaé coloca em evidência o show do cantor e compositor gaúcho Filipe Catto nesta sexta-feira (12)

Depois de Fôlego/2011 e Tomada/2015, o cantor e compositor gaúcho Filipe Catto acaba de lançar seu terceiro CD, Catto. Para marcar o lançamento deste novo álbum, Filipe criou o show ‘O Nascimento de Vênus’, que é apresentado nesta sexta-feira (12), no Teatro Sesi Macaé.

No espetáculo – com roteiro e direção dele -, Filipe apresenta as novas músicas, além de interpretar seus hits e algumas novidades, como Eva, sucesso do grupo Rádio Táxi nos anos 1980. O show tem direção musical de Felipe Puperi (guitarra e synths) e conta ainda com Magno Vito (baixo), Jojô (guitarra e synths) e Michele Abu (bateria e percussão).

O CD apresenta 10 canções, sendo três de sua autoria, além de outras de compositores contemporâneos como César Lacerda e Romulo Fróes (É sempre o mesmo lugar) e Juliano Holanda e Igor de Carvalho (Eu não quero mais ); ele regravou ainda Arco de luz de Marina Lima e Antonio Cícero e a parceria com Zélia Duncan, Só por ti.

Os ingressos para o show custam R$ 34 (inteira) e R$ 17 (meia). A classificação etária é de 16 anos. Os interessados devem adquiri-los na Bilheteria do Teatro Sesi Macaé, que fica na Alameda Etelvino Gomes, 155 (Bairro Riviera Fluminense).

‘O Nascimento de Vênus’

Com forte presença cênica, Filipe inicia o show de forma impactante: em cima de um tablado e com uma capa prateada, interpreta Como um raio; em seguida dispara seu grande sucesso do primeiro disco, Adoração.

Com sua voz afinada e estilo próprio, o cantor consegue ir do grave ao agudo de uma frase musical a outra. Filipe esbanja versatilidade no novo show, incorporando desde uma sereia estilizada a um índio futurista. Os temas das músicas, grande parte de sua autoria, também são diversificados, do dissabor da perda do grande amor e o desprezo de quem o traiu ao louvor aos orixás e ode ao sexo e ao prazer.

Com o belo figurino de Isadora Gallas, outro destaque de O Nascimento de Vênus fica para a iluminação de Grissel Piguillem, que também assina o cenário em parceria com Filipe. Com 30 anos completados em 2017, Filipe neste novo trabalho se mostra maduro pessoal e profissionalmente, além de reafirmar seus múltiplos talentos: compositor de uma poética ímpar, intérprete sensível e antenado com seu tempo, assina ainda a direção, roteiro e cenário do espetáculo.

Filipe Catto

Nascido em Lajeado, 26 de setembro de 1987, Filipe Catto Alves é um cantor, instrumentista, compositor, ilustrador e designer brasileiro. Ganhou fama ainda muito jovem, voltado para a MPB, o samba e o tango moderno, mas com o tempo, avançou para outros gêneros, como o jazz, o rock e o bolero, entre outros.

Cresceu e foi criado na capital gaúcha Porto Alegre. Ainda menino, cantava em bailes e festas com o pai e, numa de suas primeiras experiências, enfrentou uma plateia de três mil pessoas. Na adolescência, participou de algumas bandas com influências de rock. Em 2006 iniciou sua carreira solo e começou a se apresentar em bares e divulgar seu trabalho pela internet. Em 2008 montou com o diretor João Pedro Madureira o show “Ouro e Pétala”, composto de voz, violão e palmas e se apresentou em teatros. Quando se viu pronto, lançou pela internet o EP “Saga” em 2009 para download gratuito, o que marcou o início de sua carreira profissional.

Já dividiu o palco com outros grandes artistas nacionais, como Maria Bethânia, Ney Matogrosso, Chico Buarque, Gilberto Gil, Beth Carvalho, Odair José, Marcelo Jeneci, Vanessa da Matta, Toquinho, Daniela Mercury, Zélia Duncan, Maria Gadu, Ana Carolina, Arnaldo Antunes, Nando Reis, Dzi Croquettes, entre outros.

Suas canções são conhecidas por constarem em trilhas sonoras de sucesso, como “Saga” (trilha da novela Cordel Encantado), “Quem É Você” (trilha da novela Sangue Bom), “Adoração” (trilha da novela Saramandaia) e “Flor da Idade” (trilha da novela Joia Rara).
Apesar de se definir com frequência como intérprete, é o compositor da maioria de seus sucessos, como “Saga”, “Adoração”, “Lua Deserta”, “Dias e Noites”, “Torrente”, “Depois de Amanhã”, “Redoma” e “Roupa do Corpo”. Compõe na maioria das vezes de forma solitária, mas já escreveu canções com artistas como Zélia Duncan, Paulinho Moska e Pedro Luís.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here