O município de Macaé, com a posse dos vereadores e prefeito eleitos em 15 de novembro, começou a viver a expectativa de que tudo vai dar certo numa gestão que esperava-se diferente da anterior, para tentar recuperar a auto estima dos macaenses e os radicados por aqui há mais tempo que demonstram um ar de desesperança e tristeza, ao ver nos últimos 16 anos, a cidade perder a identidade e não preservar sua memória e ver seus bens destruídos ao serem abandonados. Afirmar que o Poder Legislativo deu o primeiro grito de independência, ao não eleger o preferido do prefeito para presidir a Câmara Municipal, buscando a renovação nos atos que doravante serão praticados, deixou assustado o prefeito Welberth Rezende que, nesta sexta-feira, voltou a ser surpreendido com a eleição dos membros das Comissões Técnicas Permanentes, que podem com suas ações futuras, começar a mudar os rumos da história. Estão os vereadores, desejando despontar como líderes políticos capazes de mais à frente, passar a ditar algumas regras para a administração, como por exemplo, exigir a ação dos vários Conselhos que “ficaram esquecidos” pela gestão anterior, e que podem fazer a diferença nas ações desejadas pela sociedade que gostaria, antes de mais nada, voltar a viver num município resgatando sua identidade perdida e sem vida, como afirma em suas narrativas o advogado e escritor Ronaldo Tanus Madeira, “nos últimos anos, Macaé deixou de ser uma cidade alegre. Parece esquecida no tempo”. Como as sessões plenárias devem obedecer o período ordinário, salvo a necessidade de uma sessão extraordinária convocada pelo prefeito por alguma emergência, e a população sabendo que não haverá Carnaval, começa o tempo de os eleitores cobrarem dos escolhidos, as promessas de campanha que, habitualmente caem no esquecimento, após a posse nos cargos.

Desafios pela frente

Durante toda a campanha como candidato a deputado estadual, o agora prefeito Welberth Rezenda (Cidadania), não cansou, como não cansa até hoje, de aceitar convites para encontros que puderam selar seus objetivos e, igual quando foi vereador, aprendendo muito como funciona a máquina, se tornou deputado estadual e junto com Chico Machado (PSD), sempre participaram de reuniões com as instituições e entidades lideradas por um grupo de empresários, com quem, foram discutidas muitas ações que ficaram no “banho maria” na gestão de Dr. Aluizio. Depois das pautas discutidas, algumas reivindicações do mundo empresarial chegaram a ser feitas mas os resultados não foram bem sucedidos. Durante a campanha, o Repensar Macaé, grupo que reúne diversas entidades, encaminhou aos candidatos, uma lista de propostas para servir de sugestão ao novo governo, e todos imaginaram que seria diferente do tratamento de Dr. Aluizio que simplesmente olvidou a classe empresarial, usando-a apenas para seus pleitos com interesse político. Mas, agora, será diferente? Como a nomeação do secretariado e assessores diversos, não “caíu” bem, ou seja, era aguardada uma equipe bem técnica para o tamanho dos desafios que Macaé tem pela frente a partir deste ano, a expectativa cresce porque a classe continua com os olhos voltados para o futuro e, especula-se, alguns da equipe de governo não teriam expertise para cuidar de pautas bem complexas no mundo do petróleo, gás e energia. E dizer que esperava-se para o início de 2021, a obtenção da Licença de Instalação do Terminal Portuário de Macaé, na localidade de São José do Barreto. Como é muito cedo para a cobrança, os empresários esperam uma reunião com o prefeito para colocar a conversa em dia e, quem sabe, pode começar ai uma grande cooperação em busca de mais empregos para a população.

PONTADAS

Enquanto a nova equipe de governo deve estar debruçada em cima de muitos contratos para auditar, imagina-se que os mais visados vão ser o da SIT (será que tem dedo da Fetranspor?), o de Limpeza Pública que passa pela Secretaria de Infraestrutura, e o da BRK, principalmente depois que Dr. Aluizio foi denunciado pelo MPF de ter “garfado” alguns pelo meio do caminho.

Direto pelo faceboock, o prefeito Welberth Rezende faz contatos e anuncia suas ações chegando primeiro com informações aos internautas que vivem colados nas redes sociais. Como a internet, principalmente o Faceboock, é um território livre onde cada um fala o que quer e vê o que não quer, não é atoa que o ex-prefeito Dr. Aluizio utilizava apenas os 140 caracteres do Twiter para dar seus recados.

Depois de um longo período, desde o início da pandemia, quando foi encerrada a cobrança do estacionamento público nas ruas centrais, era mais uma economia para o cidadão que sofre com as consequências e queda nas vendas. Ao voltar a cobrar o estacionamento a partir de segunda-feira, pode ser uma boa solução para a empresa que, aliás, deve estar com o contrato vencido e necessitando de nova licitação.

Até domingo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here