Número de eleitores faltosos em Macaé dispara se comparado nos últimos 12 anos - Arquivo

Ao todo, 44 mil eleitores da cidade não compareceram às urnas na eleição municipal, o que corresponde 26,96% de abstenção

Com um resultado previsível, de acordo com as recentes pesquisas de intenção dos votos, a eleição municipal em Macaé, que ocorreu no último domingo (15), das 7h às 17h, foi pautado pelo aumento do percentual de abstenção do eleitorado.

Com 164.425 pessoas aptas a votar na cidade, de acordo com a Justiça Eleitoral, o primeiro turno das eleições deste ano em Macaé foi marcado pelo não comparecimento às urnas que contabilizou 44 mil eleitores, o que corresponde a 26,96% dos macaenses que tinham o poder de definir os rumos do poder executivo e legislativo.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o número de abstenções tem crescido desde 2008, quando 13% não votaram e nas ruas, muitos acreditam que o índice é um reflexo dos eleitores desacreditados com a classe política.

Para o consultor eleitoral, Orlando Thomé, a crise moral e econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus também desmotivou na escolha dos novos governantes.
Dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) apontam que na última eleição municipal, em 2016, o percentual de abstenção foi de 22,35%, ou seja, 29 mil eleitores deixaram de comparecer às urnas. Este ano, o panorama de abstenções nas principais cidades ficou assim: Macaé: 26,96%, Cabo Frio: 26,39% , Casimiro de Abreu: 25,53%, Campos: 24,92% e Rio das Ostras: 19,47%.

Em 12 anos, o número de abstenções tem aumentado gradativamente, nas três últimas eleições municipais, dados do TRE mostram que os eleitores estão desestimulados de ir às urnas.

Em 2008 foram registrados 13,70% de eleitores que não compareceram às seções eleitorais; em 2012, o percentual chegou a 17, 65%, e em 2016, o número de eleitores faltosos foi de 22,35%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here