Duas pessoas morrem afogadas em rio em Macaé

3460
Adriano de Azevedo Benício, de 19 anos, e Vitor Alberto Bonfim Barreto, de 32 anos, morreram afogados em rio no último fim de semana

As vítimas foram identificadas como Adriano de Azevedo Benício, de 19 anos, e Vitor Alberto Bonfim Barreto, de 32 anos

Bombeiros do Grupamento Marítimo do 9º GBM de Macaé encontraram, na manhã de último domingo (23), o corpo de Vitor Alberto Bonfim Barreto, de 32 anos, conhecido como ‘Baiano’, que morreu afogado após mergulhar no canal Rio-Macaé, na comunidade da Nova Holanda, em Macaé. Vitor estava desaparecido desde a tarde de última sexta-feira (21).

Na manhã de domingo (23), por volta das 9h, o corpo de ‘Baiano’ foi encontrado próximo a Colônia dos Pescadores, na Barra de Macaé, quando pescadores avistaram no rio algo estranho, e ao se aproximar, perceberam que se tratava de um corpo.

De imediato, os pescadores acionaram a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, que reconheceram a vítima que já se encontrava desaparecida desde sexta-feira (21). A família foi comunicada e reconheceu o corpo de Vitor, que foi encaminhado para o Instituto Médico Legal de Macaé, e o corpo sepultado na tarde de segunda-feira (24).

Já no último sábado (22), um jovem de 19 anos, também morreu afogado em um rio, que fica localizado no Imburo, na zona rural de Macaé. Segundo informações, na última sexta-feira (21), Adriano de Azevedo Benício, de 19 anos, mergulhou no canal do Imburo, que liga o Rio-Macaé, e desde então não foi mais visto. O corpo da vítima foi encontrado no fim da tarde de último sábado (22), sendo encaminhado para o IML de Macaé.

O comandante do 9º GBM de Macaé, André Siqueira, orienta. “A flutuabilidade no rio é menor, então as pessoas também pensam que o rio é mais seguro, mas ele esconde muitos perigos como pedras e galhos onde podemos nos enroscar. Quando a água está descendo com bastante velocidade existe a presença de espuma que não permite que a gente flutue ou que possamos praticar a natação, então por mais que a pessoa saiba nadar ela não vai conseguir”, explica.

De acordo com o oficial, é importante não se banhar em locais ermos e sim onde há maior concentração de pessoas e atendimento de guarda-vidas, os quais ficam em locais específicos.