O Rio Macaé é um dos recursos hídricos que precisa de atenção, mas enquanto isso, sofre com o descarte irregular

Degradação ambiental está cada vez mais nítida no manancial responsável por abastecer toda a cidade

Hoje, 5 de junho, comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente. A data é propícia para se discutir ações imediatas que visam impedir a degradação dos recursos naturais que sofrem com o desmatamento, queimadas, destruição e a poluição de todas as formas. Uma realidade não muito diferente na Capital do Petróleo, onde principalmente os recursos hídricos sofrem com os descartes irregulares. Como, por exemplo, o Rio Macaé que tornou-se depósito para esgoto in natura e muitos outros tipos de resíduos, como plásticos, pneus, garrafas pet, entre tantos outros.

Voltando ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a data é lembrada em todos os países desde que a Organização das Nações Unidas (ONU) realizou a sua primeira conferência sobre o Ambiente Humano, também conhecida como Conferência de Estocolmo. O encontro aconteceu em 1972.

E Macaé possui diversas belezas naturais, como o Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, Parque Atalaia e a Reserva Biológica da União. Mas cenários tristes e preocupantes também são encontrados na cidade, como a poluição do Rio Macaé, mencionado acima e também a poluição da Lagoa de Imboassica, das praias e mangues – ecossistemas que deveriam ser preservados, mas que na realidade sofrem com as ações humanas e o descaso do poder público.

Já as áreas de Mata Atlântica, por exemplo, dão cada vez mais lugar às construções imobiliárias. Com isso a cidade em que toda a vegetação original da região era de mata atlântica (incluindo a mata propriamente dita, a restinga e o mangue) pouco a pouco vem sendo substituída pelo crescimento do município, pela pecuária e para extração de carvão e madeira. Com tanto investimento do setor imobiliário, o que resta hoje é apenas uma pequena porcentagem da mata original que está parcialmente inserido em Unidades de Conservação como o Parna Jurubatiba, APA do Sana e o Parque Atalaia.

E os trechos de vegetação que ainda existem estão inseridos em unidades de conservação, a exemplo do Pico do Frade e da Bicuda.

O analista ambiental Marcos César dos Santos ressalta que o Dia do Meio Ambiente na verdade é todos os dias. “Mas ter uma data especifica para ele é ter uma forma de tentar levar as pessoas a se conscientizarem da importância da preservação da natureza, do cuidado com a água, com o ar, com a mata e tentar conciliar o desenvolvimento com o meio ambiente, o que chamamos de sustentabilidade, que hoje é um grande desafio”, disse Marcos.

Prefeitura realiza ações

Em comemoração à data, a Prefeitura de Macaé está realizando diversas ações na cidade. As atividades começaram ontem com inauguração do ponto de coleta de resíduo eletroeletrônicos no Mercado de Peixes e seguem até o dia 9 com uma programação diversificada. Outros pontos de coleta serão inaugurados também no Centro de Convivência dos Cavaleiros – posto 2; Colégio Municipal da Aroeira e Associação de Moradores do Parque Aeroporto (Praça da AMPRA).

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here