quarta-feira, março 3, 2021

Trabalho de Christino Áureo foi fundamental para a retomada de investimentos no setor

A retomada destes investimentos é possível graças ao trabalho de Christino Áureo

Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis assinou esta semana contratos da 15ª rodada de leilões

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realizou nesta semana a primeira etapa de assinatura de contratos relativos à 15ª Rodada de Licitações de novas áreas de exploração de petróleo. Com a antecipação, do total de R$ 8,01 bilhões ofertados na rodada, R$ 7,04 bilhões já foram arrecadados. Dos 10 contratos assinados nesta semana, quatro são de Blocos da Bacia de Campos, que totalizaram R$ 6.783.300.000,00.

A retomada destes investimentos é possível graças ao trabalho do deputado Christino Áureo para garantir a continuidade do Repetro.

O Repetro é um programa que reduz impostos, estimulando investimentos e gerando empregos, o regime venceria em 2020, mas Christino trabalhou por uma renovação antecipada, que foi assinada em fevereiro de 2018, quando Christino estava à frente da secretaria da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, o que garantiu a atratividade da Região para investimentos, isso por ter uma carga tributária que é compatível com o que é praticado no Mundo.

Como deputado federal, Christino pretende liderar a bancada do petróleo e da energia, lutando para trazer investimentos para o estado, empregos e aumento de arrecadação para Estados e Municípios, especialmente os produtores como Macaé e Campos. Esta ação permite investimentos em saúde, educação, segurança pública, e gera muitos empregos melhorando a qualidade de vida em solos fluminense.

“Precisamos de representantes na Câmara Federal. Nosso estado perde R$ 27 bilhões, porque a produção de petróleo é taxada no consumo, e não na origem como a maioria dos produtos. Precisamos de um deputado que trabalhe para o segmento na Câmara Federal, e que tenha conhecimento e competência para lutar pelos nossos interesses. A nossa atuação no campo do petróleo nos últimos anos nos legitima a liderar a bancada do petróleo na Câmara Federal, caso seja eleito. O estado do Rio é o grande produtor e o país precisa de representantes que lutem pelo segmento, principalmente a geração do emprego e arrecadação”, avaliou o deputado estadual que concorre agora a uma vaga de deputado federal.

Na 15ª rodada de leilões da Agência Nacional do Petróleo (ANP) todos os lotes ofertados da Bacia de Campos foram arrematados e o Repetro é fundamental para garantir que estas áreas de exploração sejam produtivas.

Ibope/RJ: Paes mantém 24%, Romário oscila para 16% e Garotinho sobe a 16%

Por Mateus Fagundes

O ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (DEM) segue na liderança na disputa do governo do Rio de Janeiro, com 24% das intenções de voto, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira, 25.

O ex-governador Anthony Garotinho (PRP) cresceu quatro pontos porcentuais para 16%. Esse é o mesmo índice do senador Romário Faria (Podemos), que oscilou negativamente dois pontos porcentuais.

O deputado federal Índio da Costa (PSD) oscilou de 4% para 6%. Tarcísio Motta (PSOL) manteve os 4% da pesquisa anterior, o mesmo índice de Wilson Witzel (PSC), que tinha 2% no levantamento passado.

A candidata do PT, Marcia Tiburi, oscilou de 2% para 3%. Pedro Fernandes (PDT) tem 2% e Marcelo Trindade (Novo) passou de 1% para 2%. Com 1% nos dois levantamentos aparecem André Monteiro (PRTB) e Dayse Oliveira (PSTU). Luiz Eugenio (PCO) saiu de 1% para 0%.

Votos brancos e nulos oscilaram de 20% para 17%, enquanto o índice de não sabem/não responderam foi de 8% para 5%.

Considerando-se a margem de erro de três pontos porcentuais, Paes e Romário aparecem tecnicamente empatados na simulação de segundo turno. O candidato do DEM tem 38% e o senador, 33%. Brancos e nulos são 26% e não souberam/não opinaram, 3%.

Se o concorrente do segundo turno fosse Garotinho, o ex-prefeito venceria a disputa por 44% a 22%. Brancos e nulos são 30% e não souberam/não opinaram, 3%. O ex-governador também perderia de Romário, por 39% a 26%. Nesta simulação, brancos e nulos são 32% e não souberam/não opinaram, 3%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e Editora Globo, que edita o jornal O Globo. Foram ouvidos 1.512 eleitores de 41 municípios do Estado entre 22 e 24 de setembro. O registro no TRE é o RJ-08813/2018 e no TSE é o BR-06646/2018. O nível de confiança utilizado é de 95%.

“Nós precisamos atuar em nome do povo”

Candidato à Alerj, Val afirmou que mantém diálogo com moradores de comunidades

Val Barbeiro afirma que campanha eleitoral não impede trabalho de mandato no Legislativo

“É preciso garantir que, com eleição ou sem eleição, a opinião do povo prevaleça”. Ao discursar durante a sessão ordinária de ontem (2), o vereador Val Barbeiro (PHS) que também concorre à vaga de deputado estadual no pleito deste ano, afirmou que a dedicação de todos os políticos precisa ser em defesa da democracia.

Val complementou o debate levantado por Marcel Silvano (PT) sobre a dificuldade de entrar em comunidades carentes da cidade, em função da resistência imposta por membros de facções criminosas, que defendem outros candidatos.

“O povo não pode sofrer com isso. Eu sou um vereador de comunidade e vou continuar frequentando esses lugares, para ouvir a população. Se não posso panfletar na rua, eu me reúno com as famílias, apresento as minhas ideias. A liberdade precisa ser para todos, mas isso não vai ser dificuldade para o meu papel de representar essas pessoas que precisam da democracia”, disse Val Barbeiro.

Ao reiterar a sua campanha rumo a Alerj, Val Barbeiro também afirmou que as eleições deste ano darão um resultado significativo para a sociedade.

“Qualquer um que for eleito vai precisar dar respostas a todas as pessoas, tanto quem votou nele, quanto para quem não votou. Eu sei das dificuldades das comunidades, que muitas vezes não são atendidas pelo poder público. E por isso a minha presença nessas áreas se faz necessária”, defendeu.

Avaliação de equipamentos pode se tornar obrigatória no município

Vereador Marvel Maillet (REDE) defende criação de comissão que fiscalizará equipamentos do Esporte

Projeto apresentado por Marvel Maillet visa garantir proteção de alunos e reforma de espaços públicos

A instituição de uma comissão permanente para fiscalização das condições de utilização de equipamentos públicos destinados a atividades desenvolvidas pelos agentes da secretaria municipal de Esportes, pode se tornar obrigatória no município a partir do projeto de lei assinado pelo vereador Marvel Maillet (REDE), que entrou em primeira discussão na sessão ordinária desta quarta-feira (8) da Câmara Municipal.

De acordo com o parlamentar, a criação da comissão se faz necessária em virtude das condições precárias de equipamentos utilizados nas Academias Populares e nos espaços destinados a atividades da Terceira Idade. “A avaliação periódica dos equipamentos é fundamental para manter as atividades do esporte, que já são poucas na cidade, além de assegurar a proteção dos alunos. Com a comissão, é possível que laudos sejam produzidos, garantindo a manutenção dos aparelhos e, quem sabe, até a recomposição das Academias, através da compra de novos equipamentos”, defendeu Marvel.

Já o líder da Frente Parlamentar Macaé Melhor, Maxwell Vaz (SD), disse que o projeto de lei de Marvel ajuda a expor uma prática comum na administração pública da cidade: o abandono e o sucateamento dos aparelhos coletivos. “O governo não tem planejamento para a manutenção de nada, vide as Academias Populares, o Parque da Cidade e outras praças. Em poucos dias, esses aparelhos não estarão mais em condição de uso, e os programas de assistência ao cidadão ficarão comprometidos. E a culpa recairá sobre os secretários, enquanto o prefeito fecha os olhos para o problema”, disse.

O projeto passou em primeira discussão e segue o prazo de 30 dias para análise de Comissões, apresentação de emendas e votação.

Água e transporte são solicitados para o Imburo

macaé-política
Alan Mansur mantém pauta em defesa de benefício dos pescadores - Tiago Ferreira/Divulgação 

Demandas dos moradores da localidade foram discutidas na sessão ordinária de ontem

O atendimento a demandas de saneamento básico e de transporte coletivo para bairros e localidades situadas no extremo Norte da cidade, foi cobrado ontem (10) durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores.

As solicitações dos moradores do Imburo foram defendidas pelo vereador Alan Mansur (PRB), através de requerimento aprovado por unanimidade. “Solicitamos que a Nova Cedae atenda a demanda dos moradores de um novo condomínio. O Imburo é uma região da cidade que cresce bastante, e precisa ser atendida com os serviços de saneamento”, disse Alan.

Em outro requerimento, o vereador solicitou à secretaria municipal de Mobilidade Urbana a ampliação do itinerário dos coletivos que atendem a localidade. “Por conta da expansão imobiliária desta localidade é preciso garantir a ampliação do transporte, um dos serviços essenciais para a rotina da nossa cidade”, disse Alan.

Marine Le Pen critica Bolsonaro por dizer coisas ‘extremamente desagradáveis’

| Reuters
A líder da extrema direita na França, Marine Le Pen, criticou nesta quinta-feira, 11, o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) por dizer coisas “extremamente desagradáveis”, segundo a rádio francesa RFI. Le Pen fez a declaração em entrevista ao canal France 2.

“Ele tem dito coisas que são extremamente desagradáveis, que não podem ser transferidas para nosso país, é uma cultura diferente”, disse Le Pen, referindo-se a declarações polêmicas de Bolsonaro sobre homossexuais e mulheres.

“De qualquer forma, a partir do momento em que alguém diz coisas desagradáveis, ele passa a ser de extrema direita na imprensa francesa. Não vejo Bolsonaro como um candidato de extrema direita”, acrescentou.

Le Pen atribuiu o forte desempenho de Bolsonaro no primeiro turno da disputa presidencial ao fato de sua campanha se basear na questão da segurança pública e no combate à corrupção. Para ela, a expressiva votação do capitão reformado reflete o ambiente de insegurança no Brasil.

Em maio do ano passado, Le Pen foi derrotada pelo centrista liberal Emmanuel Macron no segundo turno da eleição presidencial francesa.

Fonte: Estadão conteúdo

Só uma mulher vai ao 2º turno; no Senado, 5 de 63 se elegem

Por Renata Cafardo. Colaborou Luiz Fernando Toledo

Só 5 das 93 mulheres candidatas a governadoras ou senadoras no País foram eleitas no domingo (5,37%). E apenas uma passou para o segundo turno, a pedagoga e senadora Fátima Bezerra (PT), que disputa o governo do Rio Grande do Norte. Ela teve 46,17% dos votos. Entre as cinco senadoras eleitas, estão a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB), por São Paulo, e a ex-jogadora Leila do Vôlei (PSB), pelo Distrito Federal.

A ex-presidente Dilma Roussef (PT), que aparecia nas pesquisas como favorita ao Senado por Minas Gerais, acabou com 15,3% dos votos. Ela perdeu para Rodrigo Pacheco (DEM) e para o jornalista Carlos Viana (PHS). A ex-governadora do Maranhão por quatro vezes, Roseana Sarney (MDB), não passou para o segundo turno. O atual governador, Flávio Dino (PC do B), se reelegeu com 59% dos votos.

No Maranhão, no entanto, Eliziane Gama (PPS) garantiu sua vaga como senadora, desbancando dois conhecidos nomes da política do Estado, Sarney Filho (PV), ex-ministro do Meio Ambiente no governo de Michel Temer, e o ex-governador Edison Lobão (MDB).

Dos 357 candidatos ao Senado, havia 63 mulheres. E entre os 200 que disputavam o cargo de governador, 30 eram mulheres.

Em São Paulo, a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB) conquistou a segunda vaga para o Senado, com 18,6% dos votos (com 98% ds urnas apuradas). O senador pelo PT Eduardo Suplicy não conseguiu se eleger, apesar de estar em primeiro lugar nas pesquisas. A outra vaga ficou com Major Olimpio, candidato apoiado por Jair Bolsonaro (PSL).

Entre as candidatas a presidente, Marina Silva (Rede) teve desempenho muito abaixo do projetado inicialmente pelas pesquisas e ficou com 1% dos votos. Marina chegou a ser a segunda colocada na disputa para a Presidência. Outra mulher candidata ao cargo, Vera Lúcia (PSTU) recebeu 0,05% dos votos válidos.

As outras duas senadoras entre as eleitas são Juíza Selma Arruma (PSL), pelo Mato Grosso, e Zenaide Maia (PHS), pelo Rio Grande do Norte. Só Selma e Leila do Vôlei tiveram a maior parte dos votos em seus Estados entre as mulheres eleitas.

Em 2018, as coligações de deputados estaduais, federais e distritais precisavam ter pelo menos 30% de mulheres. A expectativa era a de que aumentasse o número de candidatas. Mas a porcentagem ficou na mínima exigida e semelhante à das últimas eleições. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Prazo para regularizar título de eleitor termina quarta-feira

Brasileiros que ficaram mais de três eleições sem votar ou justificar a ausência têm até a próxima quarta-feira (9) para regularizar a situação. Para efeito dessa contagem, cada turno de um pleito representa uma eleição. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quase 1,9 milhão de eleitores estavam em situação irregular no país em maio de 2017.

O cidadão deve ir ao cartório eleitoral de posse do título de eleitor caso o possua, além de um comprovante de residência e um documento oficial de identificação pessoal que tenha, no mínimo, nome, filiação, data de nascimento e nacionalidade. No caso dos homens, também é necessário levar o comprovante de quitação militar.

Outras solicitações

Também termina na próxima quarta-feira o prazo para que o eleitor que tem 15 anos, mas vai completar 16 anos até a data da eleição e pretende votar, requerer o título. O mesmo dia também é o prazo final para que pessoas com deficiência que necessitam de atendimento especial informem sua situação à Justiça Eleitoral para que sejam remanejadas para uma seção adaptada.

A participação nas eleições é facultativa apenas para analfabetos, pessoas com idade entre 16 e 18 anos ou com mais de 70 anos. Para os demais brasileiros, o voto é obrigatório.