quarta-feira, janeiro 27, 2021

De Dr. Aluízio para Welberth: a transição de um mesmo governo

Dr. Aluízio e Welberth a continuidade de um governo que venceu as eleições

Resultado das eleições em Macaé recria revanche, através de personagens diferentes

Passada a euforia das urnas, uma análise bastante viva e detalhada sobre o futuro político e administrativo da cidade reserva ao prefeito eleito Welberth Rezende (Cidadania), uma pequena vantagem sobre os antecessores a frente da gestão municipal: ele não precisará nem de tempo e de desgaste para trabalhar na transição.

Primeiro nos últimos anos a não representar uma ruptura tão contundente no modelo de governo, semelhante as eras Carlos Emir X Silvio Lopes ou Riverton Mussi X Dr. Aluízio, Welberth terá mais tempo para acomodar aliados, e pensar na discussão sobre a presidência da Câmara de Vereadores, berço da sua trajetória política na cidade.

Em se tratando de gestão, Welberth não terá dificuldades em assumir o governo no dia 1° de janeiro de 2021, e muito menos, de cumprir partes importantes do seu Plano de Governo, pautado nas principais realizações obtidas por Dr. Aluízio de forma mais recente.
Apesar de se comprometer em quebrar o monopólio do transporte público, solucionar os problemas de alagamentos e garantir à população o acesso a água tratada e encanada, Welberth mantém a singularidade de ouvir bastante e buscar conciliação, embora deixe bem claro quem pretende estar próximo, e quem permanecerá distante, do seu mandato que já ganha o slogan do “Governo 24 horas”.

Em entrevista ao Programa Zezé Abreu, na Rádio 101 FM, Welberth não escondeu a veia de político popular, atento as questões mais simples e cotidianas do município, com uma proposta mais acessível rompendo as inquebráveis barreiras construídas ao longo dos últimos oito anos da administração atual da cidade.

Talvez seja essa a grande diferença entre ele e o seu principal articulador nesta eleição: o próprio prefeito. E graças também aos esforços do jornal O DEBATE em esclarecer possíveis dúvidas e suspeitas de duas outras candidaturas que ameaçavam as eleições na cidade, Welberth terá a capacidade de governar a cidade em uma fase de menos guerra, mas de grandes desafios.

 

Eleição em Macaé pautada por percentual de rejeição

Número de eleitores faltosos em Macaé dispara se comparado nos últimos 12 anos - Arquivo

Ao todo, 44 mil eleitores da cidade não compareceram às urnas na eleição municipal, o que corresponde 26,96% de abstenção

Com um resultado previsível, de acordo com as recentes pesquisas de intenção dos votos, a eleição municipal em Macaé, que ocorreu no último domingo (15), das 7h às 17h, foi pautado pelo aumento do percentual de abstenção do eleitorado.

Com 164.425 pessoas aptas a votar na cidade, de acordo com a Justiça Eleitoral, o primeiro turno das eleições deste ano em Macaé foi marcado pelo não comparecimento às urnas que contabilizou 44 mil eleitores, o que corresponde a 26,96% dos macaenses que tinham o poder de definir os rumos do poder executivo e legislativo.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o número de abstenções tem crescido desde 2008, quando 13% não votaram e nas ruas, muitos acreditam que o índice é um reflexo dos eleitores desacreditados com a classe política.

Para o consultor eleitoral, Orlando Thomé, a crise moral e econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus também desmotivou na escolha dos novos governantes.
Dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) apontam que na última eleição municipal, em 2016, o percentual de abstenção foi de 22,35%, ou seja, 29 mil eleitores deixaram de comparecer às urnas. Este ano, o panorama de abstenções nas principais cidades ficou assim: Macaé: 26,96%, Cabo Frio: 26,39% , Casimiro de Abreu: 25,53%, Campos: 24,92% e Rio das Ostras: 19,47%.

Em 12 anos, o número de abstenções tem aumentado gradativamente, nas três últimas eleições municipais, dados do TRE mostram que os eleitores estão desestimulados de ir às urnas.

Em 2008 foram registrados 13,70% de eleitores que não compareceram às seções eleitorais; em 2012, o percentual chegou a 17, 65%, e em 2016, o número de eleitores faltosos foi de 22,35%.

Problema técnico em computador do TSE atrasa totalização dos votos

Problema técnico em computador do TSE atrasa totalização dos votos

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse que uma falha em um computador provocou atraso na divulgação dos resultados da apuração do primeiro turno. Por volta das 21h40, cerca de 63% dos votos tinham sido computados.

Segundo o ministro, os dados dos tribunais regionais eleitorais foram recebidos pelo tribunal, mas ocorreu uma falha no processador de um supercomputador e foi preciso fazer a reparação. Segundo Barroso, o atraso não traz prejuízo para o resultado das eleições, porque o problema está somente na divulgação.

“A ideia de que a demora possa trazer algum tipo de consequência para o resultado não faz nenhum sentido, porque o resultado das eleições já saiu no momento em que a urna imprimiu o boletim da urna. Esse boletim é impresso em diversas vias, é fixado no lado de fora da seção eleitoral e distribuído aos partidos”, explicou.

No entanto, o ministro disse que a centralização da totalização (soma) de votos no TSE também pode ter contribuído para a lentidão da divulgação. Nas eleições anteriores, a totalização era realizada pelos tribunais regionais eleitorais. Antes de Barroso assumir, a ministra Rosa Weber ocupou o cargo de presidente da Corte.

“De fato, houve uma alteração e a totalização passou a ser centralizada no TSE. Essa não foi uma decisão minha. Eu tomei posse em maio, o sistema já havia sido alterado dessa forma. Preciso dizer que, desde o primeiro momento, eu não tive simpatia por essa opção, mas era a opção estabelecida, e foi ela que eu segui. Muito possivelmente, por ser uma novidade, pode estar na origem da instabilidade que sofremos”, afirmou.

Fonte: Agência Câmara

Christiane Cordeiro obtem maioria dos votos em Carapebus

A atual prefeita Christiane Cordeiro (PP) obteve 34,71% do votos válidos - Divulgação

Mesmo com reeleição sub judice, Christiane Cordeiro, do PP, obteve a maioria dos votos neste domingo (15), em Carapebus (RJ). Ela recebeu 34,71% dos votos dados a todos os candidatos e derrotou Bernard Tavares, que ficou em segundo lugar com 29,90%.

A atual prefeita, que está sub judice, aguarda a decisão da Justiça Eleitoral para ter a confirmação se será ou não reeleita pelos próximos quatro anos.
No total, foram computados 3.565 votos. A eleição em Carapebus teve 15,99% de abstenção, 1,17% votos brancos e 3,25% votos nulos.

Christiane Cordeiro tem 55 anos, é casada, tem ensino superior completo e declara ao TSE a ocupação de prefeita. Ela tem um patrimônio declarado de R$ 383.787,59. O vice é Luiz Victor, do PSDB, que tem 46 anos.
Ambos fazem parte da coligação Progresso com Compromisso Social, formada pelos partidos PSDB, PP, Avante, Solidariedade, PRTB.

O resultado oficial das leleições de Carapebus foi o seguinte:

Christiane Cordeiro – PP – 34,71%
Bernard Tavares – Republicanos – 29,90%
Rodrigo Mancebo – Cidadania – 26,27%
Cleber Pimentel – MDB – 6,04%
Juninho de Zezito – PMB – 2,32%
Dona Lourdes – PSB – 0,40%
Prof. Augusto – PV – 0,29%
Pastor Marcos – PTC – 0,08%

 

Fátima Pacheco é reeleita prefeita de Quissamã

A prefeita reeleita de Quissamã, Fátima Pacheco (DEM), que obteve 52,19% do votos - Divulgação

Somando precisamente 52,19% dos votos, Fátima Pacheco (DEM) foi reeleita Prefeita de Quissamã, no pleito de domingo (15). Ela derrotou Armando Carneiro, que ficou em segundo lugar com 44,09% (6.615 votos), permanecendo no cargo por mais quatro anos.

A eleição em Quissamã contou com a participação de 7.829 eleitores no total, tendo 16,47% de abstenção, 0,86% votos brancos e 2,73% votos nulos.

Em seu discurso da vitória, Fátima agradeceu a confiança depositada a ela pelos quissamaenses. “Agradeço a todos que nos concederam através do voto, num ato democrático, a oportunidade de um segundo mandato, que será ainda melhor que o primeiro”, declarou a prefeita.

Fátima tem 55 anos, é viúva, tem superior completo e é prefeita da cidade. Ela tem um patrimônio declarado de R$ 315.377,65. A Democrata foi a primeira mulher a assumir a gestão do município, quando foi eleita em 2016.
Já o vice-prefeito é Marcelo Batista, do Republicanos, que tem 51 anos. ambos fazem parte da coligação MDB / PL / DEM / REPUBLICANOS / PT.

O resultado das eleições em Quissamã ficou assim:

Fátima Pacheco – DEM – 52,19%
Armando Carneiro – PSC – 44,09%
Manoel da Ótica – PODE – 2,02%
Dijamim Ferreira – PRTB – 0,86%
Doutor Leandro – Avante – 0,84%

 

Falta de mesários marca o pleito municipal em Macaé

Ausência de mesários na Eleição Municipal em Macaé comprometeu o trabalho dos voluntários que atenderam a convocação - Reprodução/TV Record

Dezenas de pessoas não atenderam ao chamado das duas Zonas Eleitorais da cidade e terão de pagar multa para regularizar a situação

A falta de mesários marcou o dia da votação para Eleição Municipal em Macaé. O número de colaboradores faltosos em duas Zonas Eleitorais chegou a quase 60. Na 254ª Zona Eleitoral, ausência de quase 20 voluntários causou transtorno no começo da manhã, no Ciep 393, no bairro Aroeira.

Algumas mesas chegaram a funcionar com duas pessoas apenas. O problema foi resolvido com a convocação de suplentes, que já estavam no local. Em algumas seções não tinham secretário e segundo mesário, que só foram repostos no início da tarde da eleição. Por conta do problema, a média do tempo de votação variou de dois a três minutos e filas quilométricas.

Devido a falta de voluntário para atuar na eleição, comprometeu também o andamento da assinatura no caderno de votação e entrega de comprovante de votação para o eleitor errado. Algumas pessoas que chegaram à seção para votar puderam perceber que um outro eleitor havia assinado no caderno e o comprovante teria sido entregue.

Em outras seções eleitorais da 254ª Zona Eleitoral, era possível ver cadeiras de mesários vazias, apenas com dois voluntários para fazer a votação fluir normalmente.
Já na 109ª Zona Eleitoral, que também abrange outros bairros, foram em torno de 35 mesários faltosos.

O clima era de tranquilidade pela manhã de votação em Macaé, porém após às 10h, as escolas eleitorais ficaram lotadas de eleitores. O Ciep 393 Aroeira, por exemplo, possui mais de 4 mil eleitores e a movimentação ficou maior das 10h até às 15h.
Na decisão, o juiz eleitoral afirma que a ausência de um mesário sempre traz transtornos aos demais componentes da junta, aos eleitores e ao processo eleitoral em si, sendo necessário, na maioria das vezes, o remanejamento das funções entre os membros presentes.

Eleitores convocados a atuarem como mesários que não compareceram ao pleito e sequer justificaram ausência no prazo estabelecido pela legislação poderão ser condenados ao pagamento de multa e que a multa pode variar entre R$ 35 a R$ 100.

Eleição é marcada por sujeiras e diversas ocorrências em Macaé

Manhã de eleição tem santinhos espalhados nas ruas de Macaé e equipe de limpeza tem tarefa árdua para recolher resíduos -Reprodução/TV Record

Crime eleitoral pode ser vistos nas primeiras horas do dia de votação com o derramamento de ‘santinhos’

O derrame de santinhos na véspera e no dia das eleições municipais é proibido pela Justiça Eleitoral. Contudo, apesar dos partidos políticos terem recebido ofício com a proibição, o que se vê foi o contrário nas ruas de Macaé que amanheceram cobertas de panfletos e santinhos, no domingo de eleição municipal.

Os números de candidatos a prefeitos e vereadores foram jogados aos montes em frente aos locais de votação, entre os pontos que mais chamaram atenção da quantidade de despejo foram no Ciep 393 Aroeira, Matias Neto, Luiz Reid, Ciep Oscar Cordeiro, Escola Municipal da Aroeira, e entre outros.

A prática, de acordo com Lei das Eleições 9.504/97, é crime eleitoral e o autor pode ser preso, caso seja pego em flagrante. Além dos santinhos de candidatos no chão, máscaras foram descartadas de modo irregular em tempos de pandemia Covid-19.
Na manhã desta segunda-feira (16), a equipe de limpeza da prefeitura teve uma tarefa árdua para recolher todos os lixos, que é considerado crime ambiental. Os bairros passaram por limpeza e a expectativa é que quase 100 toneladas de resíduos foram recolhidos.

A votação começou tranquila, com filas pequenas nas seções. Muitos idosos e famílias foram votar nas primeiras horas do pleito.
Por volta das 9h, a Polícia Militar foi acionada para impedir uma briga entre eleitores na Praça Arlindo Mourão, no bairro Aroeira. A confusão se estendeu até a esquina da rua, que ao avistarem a viatura os grupos políticos rivais se dispersaram do local. Ninguém foi detido.

Um outro caso inusitado que chamou atenção nas redes sociais é que um eleitor entrou na cabina de votação, registrou uma foto e postou na internet que acabou repercutindo. Fotografar diante da urna eletrônica durante a votação é crime. Segundo a legislação eleitoral, autorretratos na cabine de votação infringem não só o sigilo do voto, como prevê o artigo 312 do Código Eleitoral brasileiro, com pena de até dois anos de prisão.

Caso a imagem vá parar nas redes sociais, pode ser considerada uma espécie de boca de urna virtual. Por este, o eleitor pode ser detido de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços comunitários pelo mesmo período, e multa no valor de R$ 5.320 a R$ 15.961,50. Caso contrário, podem pegar até dois anos de prisão e pagar multa de cerca de R$ 16 mil.

O tempo de votação foi ampliado em uma hora neste ano para evitar filas e aglomerações. As seções foram abertas às 7h e encerraram às 17h, onde as urnas foram entregues aos fiscais do TRE, colocadas nos veículos e encaminhadas para o Cartório Eleitoral da 109ª Zona Eleitoral.

Fotos relacionadas:

Renovação marca eleições na Câmara Municipal de Macaé

A Vereadora eleita, Iza Vicente, que será a única representante feminina na Câmara Municipal de Macaé.- Divulgação

Muitas surpresas marcam as eleições 2020 no Legislativo macaense com renovação parcial dos vereadores eleitos

As eleições 2020 ficarão marcadas como uma das mais surpreendentes da história de Macaé. As ‘velhas raposas’ políticas foram banidas do Legislativo macaense. O cenário político ganhou ares de renovação, senão total, mas expressivamente parcial.

Neste sentido, Macaé elegeu uma Câmara de Vereadores com nomes novos e outros conhecidos não conseguiram se eleger. Muitas surpresas ocorreram neste pleito, já que dos 17 atuais vereadores eleitos, apenas seis conseguiram se reeleger.

Os vereadores eleitos são os seguintes:

• Cesinha – 2.856 votos PROS – 90.630;
• Edison Chiquini – 2.830 votos PSD – 55.025
• Alan Mansur – 2.474 votos – Cidadania – 23.000;
• Paulo Paes – 1.898 votos DEM – 25.658
• Iza Vicente – 1.877 votos REDE – 18.018;;
• Luiz Matos – 1.873 votos – Republicanos – 10.100;
• Thales Coutinho – 1.822 votos PODE – 19.668;
• Tico Jardim – 1.817 votos PROS – 90.345;
• Rafael Amorim – 1.795 votos PDT – 12.000;
• Professor Guto Garcia – 1.625 votos PDT – 12.123;
• George Jardim – 1.471 votos PSDB – 45.678;
• Rond Macaé – 1.457 votos Patriota – 51.010;
• Luciano Diniz – 1.426 votos Cidadania – 23.650;
• Reginaldo do Hospital – 1.389 votos PODE – 19.000;
• José Prestes – 1.347 votos PTB – 14.234;
• Professor Michel – 1.039 votos Patriota – 51.444;
• Amaro Luiz – 972 votos PRTB – 28.444

Welberth Rezende é eleito prefeito de Macaé

Welberth festejando a vitória com seus eleitores e ladeado pela mãe, Dona Cirlene, e pela esposa Kellen - Dvulgação

Com uma campanha séria e transparente anunciando apenas o seu plano de governo que dá ênfase ao desenvolvimento econômico, Welberth Rezende, do Cidadania, foi eleito prefeito de Macaé, neste domingo (15). Numa disputa acirrada o macaense Welberth Rezende conquistou 23,93% dos votos dos eleitores macaenses, obtendo um total de 26.060.

A apuração transcorreu em clima de indefinição, onde Welberth disputou voto a voto com Riverton Mussi (PDT), que ficou em segundo lugar com 22,48% (24.477 votos) – que se encontra em situação anulada sub judice, segundo o TRE; e com o terceiro colocado, o radialista Robson Oliveira, do PTB , que teve 22,23% dos votos. Aos final, o candidato do Cidadania vence a disputa com a diferença de 2.123 votos para o segundo colocado.
O resultado oficial do TRE informou que a eleição em Macaé teve 26,96% de abstenção, 3,4% votos brancos e 5,92% votos nulos.

Welberth festeja a vitória

Filho de Dona Cirlene Rezende, Welberth Rezende tem 45 anos, é casado com Kellen, é advogado e Deputado Estadual. O vice é Chapeta, do PSDB, que tem 71 anos. Ambos fazem parte da coligação Macaé Para Todos, formada pelos partidos CIDADANIA, REDE, PODE, PROS, PV, PSDB e PC do B.

Welberth festejando a vitória com seus eleitores e ladeado pela mãe, Dona Cirlene, e pela esposa Kellen – Divulgação

Após o resultado oficial das eleições, na madrugada desta segunda-feira (16), Welberth reuniu-se na Praça Washington Luiz com seus correligionários e eleitores, saindo em carreata da vitória pelas ruas da cidade. O futuro prefeito agradeceu cada voto recebido e disse prometeu trabalhar duro para a implementação de infra-estrutura que venha garantir a elevação da qualidade de vida da população macaense.

Promessas do Prefeito eleito

Em recente entrevista, o Prefeito eleito Welberth Rezende declarou que o seu governo ficará marcado pela empregabilidade. “A grande bandeira do meu governo será o desenvolvimento econômico, visando melhorar a educação, saúde e a segurança pública, com ênfase na empregabilidade, sendo o emprego a marca das pessoas e o projeto mais importante na vida de qualquer ser humano”, declarou Welberth, informando que os cem primeiros dias de sua gestão serão dedicados a ações que venham minimizar os impactos deixados pela pandemia, tanto na área da saúde, como educacional e econômica, disse acrescentando que vai fazer um governo que venha proporcionar dignidade ao macaense, seja o nascido aqui ou o que escolheu Macaé para viver.

O futuro prefeito de Macaé no momento da votação antecipando a sua vitória – Divulgação

Considerado um político atuante e influente, na oportunidade Welberth revelou que, diferente de outros candidatos, ele é um macaense humilde, que nasceu e cresceu no Miramar, foi aluno do Colégio Estadual Luís Reid, atuou como limpador de fossa, vendedor de pães e picolé nos Cavaleiros e carteiro por 12 anos. “Não tenho vergonha nenhuma disso. Orgulho-me do meu passado, que faz parte da minha história”, disse o candidato, acrescentando que a sua trajetória deu-lhe um olhar sensível às questões do município por sentir na pele todos os problemas da classe trabalhadora.

O futruro prefeito de Macaé deixou claro também a sua intenção de alavancar o potencial turístico de Macaé, que está interligado ao desenvolvimento econômico. “Vou buscar com todas as forças impulsionar ainda a questão do óleo e do gás natural, que representam o novo momento e ponto de desenvolvimento econômico muito forte, apoiando as termelétricas, Terminal Portuário de Macaé (TEPOR)”, frisou o deputado, sem esquecer de destacar o resgate da agricultura da cidade. “Quero reabrir o CEASA para fechar a cadeia desde o momento da criação, preparação, capacidade técnica e produção, que deixou de existir. Quero ainda voltar a trabalhar a pesca, as estradas, agricultura familiar e aumentar o valor de compra dos nossos produtores rurais”, disse.

Weberth destacou ainda o saneamento básico e a macrodrenagem para colocar de vez com os alagamentos em bairros da cidade, como Miramar, Visconde de Araújo, Sol y Mar, Novo Horizonte, entre outros. “Conheço de perto essa realidade e quero por fim o sofrimento de tantas famílias moradoras desses locais”, disse, afirmando ainda que o seu governo não será permissivo com as concessionárias, como CEDAE, Odebrecht e SIT. “Ou elas vão se adequar ou ficarão fora. Não terei paciência com quem não quer trabalhar em prol de Macaé”, concluiu.

 

Silvinho Lopes cumpriu seu direito de voto às 10h na seção 87

Silvinho Lopes votou por volta das 10h na seção 87 da 109ª Zona Eleitoral, situada no Colégio Estadual Mathias Neto, acompanhado de familiares e correligionários - Divulgação

Neste domingo (15), serão escolhidos o novo Prefeito e vice, e os novos vereadores

Os eleitores estão comparecendo em massa às mais de 40 seções espalhadas por todo o município. Silvinho Lopes votou por volta das 10h na seção 87 da 109ª Zona Eleitoral, situada no Colégio Estadual Mathias Neto. Já Merrel votou logo em seguida na seção 224, localizada no Colégio Ancyra Gonçalves Pimentel.

O candidato Silvinho Lopes (25) é macaense, casado com Fabiana, com quem tem dois filhos: Elisa e Enzo. Engenheiro civil de formação e pós-graduado em Administração Pública, foi secretário de planejamento e gerente municipal de Macaé entre os anos de 1997 e 2004, período que acumulou bastante experiência em gestão pública.