Moradores deixam casas após transbordo da Lagoa de Carapebus que afetou centenas de pessoas nos últimos quatro dias - Eu, leitor, o repórter

Centenas de moradores tiveram que deixar as casas no fim de semana, após o bairro ficar debaixo d’água. População aguarda ação do poder público

Ruas e casas do bairro Balneário de Praia de Carapebus, estão alagadas há mais de quatro dias, após forte chuva deste mês que provocou o transbordo da Lagoa de Carapebus, na última sexta-feira (20).

O bairro possui estrada de chão e a água não consegue escoar. A população está preocupada com doenças, já que água da chuva já se misturou com esgoto. O feriado de Consciência Negra que deveria ser tranquilo, trouxe dor de cabeça aos moradores.

Cerca de 60 casas estão inundadas e muitos tiveram que deixar as residências. Para chegar no bairro, apenas com veículo de grande porte ou tração.

“Eu e um amigo viemos aqui para colocarmos tijolos e levantamos uns móveis, mas infelizmente muita coisa foi perdida”, relatou o morador Carlos Antunes.

A área faz parte do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, o ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, é o órgão responsável pelo parque, mas os moradores afirmam, que nem o órgão, e nem a prefeitura, tomaram as medidas necessárias para escoar a água.

Uma possibilidade seria a abertura de barra que separa a lagoa do mar, mas a ideia gera polêmica. A água da chuva já se misturou ao esgoto e deixou a área contaminada, por conta disso muitas pessoas acabaram abandonando as casas.

Em novembro de 2018, o mesmo problema foi registrado, assim como, em junho e em novembro do ano passado o balneário também ficou um mês inteiro alagado.

A assessoria de comunicação da prefeitura informou que, a Defesa Civil junto com o Instituto Estadual do Ambiente, o Inea, avaliam todo o local após a Lagoa de Carapebus transbordar nesse último fim de semana. A prefeitura informou ainda que a instalação de bomba de sucção e do dreno não vai conseguir escoar todo o volume de água que tomou conta de todo o bairro para a lagoa, sendo assim, a prefeitura aguarda o posicionamento do ICMBio que é uma autarquia em regime especial vinculada ao ministério do meio ambiente para autorizar a abertura da barra da lagoa de Carapebus para o mar.

Devido a demora da resposta do instituto, a prefeitura planeja decretar estado de emergência na cidade. Vale ressaltar ainda que, parte do município de Quissamã também está inundado, devido o transbordo da Lagoa Paulista.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here