Brasil: De ser o país do futebol para se tornar o país das artes marciais

Aos olhos do mundo, o futebol está tão ligado à identidade brasileira quanto o samba e as praias tropicais. No entanto, uma particular mudança na mentalidade da população no âmbito esportivo está colocando as artes marciais na preferência dos atletas do país.

78
Fonte: Pixabay.com

A mudança na mentalidade brasileira

Segundo o Ministério da Saúde, as artes marciais, ao lado da corrida, são as atividades físicas que mais cresceram na preferência dos brasileiros nos últimos 11 anos, como mostra o site https://noticias.r7.com. A informação revelada pelo Ministério em 21 de dezembro, mostra um aumento de 109% na prática de artes marciais entre 2006 e 2017, e pode ser confirmada até localmente, com os atletas macaenses campeões de artes marciais, como no caso de Lincon de Sá, que vai disputar o título sul americano no Campeonato Shooto o próximo 15 de março.

Além de perceber essa tendência dentro da região de Macaé, também é comum encontrar mais referências a grandes eventos de artes marciais mistas em páginas web focadas em notícias esportivas, como http://www.espn.com.br, ou de apostas esportivas, como no caso de https://www.betfair.com/br, devido ao grande número de combatentes brasileiros que fazem parte deles.

Grande parte do impulso que as artes marciais receberam nas últimas décadas deve-se ao sucesso de lutadores como Anderson ‘Spider’ Silva, Cris ‘Cyborg’ ou Júnior dos Santos dentro das maiores ligas do esporte, incluindo o UFC, o Strikeforce ou o Pride.

O incremento das artes marciais em números

Segundo uma pesquisa conduzida pela agência FightCom – Comunicação Total, Jiu-Jítsu e Muay Thai são as artes marciais mais praticadas entre os atletas lutadores no país, com o 23% e 21% do total de entrevistados, respectivamente. Depois dos dois anteriores, ficam o boxe com 16% e o taekwondo com 10% das preferências.

As informações acima foram postadas no site https://exame.abril.com.br, e também mostram que 22% do total de participantes nesta pesquisa eram mulheres. No entanto, as razões para a prática desses esportes são indiferentes entre ambos os gêneros. O condicionamento físico, a redução do estresse e a definição muscular, são as principais razões para este aumento na prática de artes marciais no país, com 33%, 28% e 17% do total, respectivamente.

Um importante fato positivo a ser observado nesse contexto é que o aumento no interesse pelas artes marciais e a prática deles no país, anda de mãos dadas com um incremento geral da atividade física por parte dos brasileiros. Como 76% das causas de morte no país são doenças crônicas, a contribuição da atividade física para um estilo de vida saudável no país se traduz na possibilidade de diminuir em 39% esse tipo de doenças entre a população.

Fonte: Pexels.com

Em resumo, o aumento da atividade física dentro do país tem um contexto positivo, independentemente do motivo da mudança nas preferências, e da imagem que isso possa refletir sobre a identidade do brasileiro aos olhos do mundo. O próximo passo é apoiar o crescimento da participação de lutadores brasileiros nas maiores competições internacionais, para garantir a liderança dos atletas do país nos esportes além do futebol.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here