É importante lembrar que em casos de sintomas, basta se deslocar até o Centro de Triagem, situado no antigo Posto de Saúde Dr. Jorge Caldas

Parte dos macaenses vem descumprindo a principal medida protetiva no combate ao vírus, e o aumento do número de casos assusta a população que adere aos protocolos de saúde

 

Após quase quatro meses de isolamento social, principal medida protetiva no combate à disseminação do vírus, parte da população vem relaxando nos últimos dias e descumprindo os necessários protocolos de saúde nesse momento, preocupando a população que segue os protocolos à risca. “Acho revoltante essa situação que o município vem passando hoje. Uns obedecem e outros descumprem colocando suas vidas e dos próximos em risco. Não adianta culpar e cobrar somente do poder público. O povo tem que acatar o que é o melhor. Quanto mais severamente obedecermos o confinamento, mais rapidamente retornaremos às nossas atividades”, revela a engenheira elétrica, Vitória Machado.

3.712 casos confirmados por coronavírus. Esse é o número divulgado pelo boletim epidemiológico da prefeitura, na manhã desta terça-feira (7), referente à Macaé, que vem liderando o ranking entre as cidades do interior do estado do Rio de Janeiro.

Mesmo com o prefeito Dr. Aluízio dando indícios de que a situação esteja prosseguindo para um novo cenário, manter-se em confinamento até segunda ordem segue sendo a primeira opção aos que não estão liberados a voltar a trabalhar, por exemplo. “Estamos caminhando para uma retomada segura. Cuidar das pessoas e tentar evitar mortes é o melhor caminho. Em breve, estaremos de volta. Será um novo cotidiano”, disse por meio de sua conta no Twitter, no último sábado (4).

Idas às praias, às casas de amigos e familiares, às festas e aos passeios têm sido constante, nos últimos dias no município, que desde o início da pandemia vem adotando uma série de medidas por meio dos decretos, a fim de resguardar a população frente à pandemia.

“Vejo as pessoas querendo fazer aqui o que já estão fazendo na cidade do Rio de Janeiro, se aglomerando e desrespeitando tantas vidas perdidas para esse vírus que tem dilacerado tantas famílias. Ainda não está na hora de curtir”, pontua Fátima Abreu, dona de casa que se encontra confinada, mas tem dois filhos que se deslocam para trabalhar.

Apesar do prefeito flexibilizar novas atividades comerciais na cidade, através de uma série de medidas, como a exigência no cumprimento dos protocolos de saúde e redução da carga horária, a reabertura parcial não significa o término da pandemia, muito pelo contrário, já que o fato das pessoas estarem liberadas a ir para às ruas, requer atenção redobrada.

É importante lembrar que em casos de sintomas, basta se deslocar até o Centro de Triagem, situado no antigo Posto de Saúde Dr. Jorge Caldas, em frente à Praça Washington Luíz. Atendendo 24h, o espaço fica na Rua Tenente Coronel Amado, número 225, no Centro de Macaé.

1 COMENTÁRIO

  1. Dr Aluízio está de parabéns pelas medidas tomadas para combater a propagação do COVID 19. Foi firme em suas decisões e resistiu às pressões. Isso foi fundamental para que muitas vidas fossem preservadas.
    Ele fez sua parte, infelizmente nem tudo depende dele. Além dos políticos oportunistas ainda tem uma parte da população que parece que não se importam com a gravidade desse vírus colocando suas vidas e a dos outros em risco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here