O atleta Sebastião Caldas, que coleciona mais de 800 premiações, celebrando 90 anos ao lado dos filhos, Vereador Luciano Diniz e Aline Diniz - Divulgação

Considerado o maratonista mais idoso do Estado do Rio de Janeiro, o macaense Sebastião Caldas celebra a data com café da manhã na residência do filho, Vereador Luciano Diniz

Um exemplo de vitalidade e talento, um modelo de vida a ser seguido, o atleta macaense Sebastião Caldas completou 90 anos, no sábado (24). A data foi marcada por uma homenagem especial dos corredores macaenses em clima de muito carinho dos familiares.

Considerado o maratonista mais idoso do Estado do Rio de Janeiro, o macaense tem sido um mestre de força e energia para seus colegas, que participaram do café da manhã na residência do filho, Vereador Luciano Diniz, organizado por Aprígio e Vera, da Associação dos Corredores de Rua de Macaé (Ascom), e pelos filhos Luciano e a Educadora Física Aline Diniz. A filha Geisa Diniz acompanhou tudo por live na Escócia, onde reside já anos.

O maratonista tem sido um mestre de força e energia para seus colegas, ele compete em 12 corridas todos os anos.

Nas redes sociais, as homenagens ao aniversariante foram inúmeras. Colegas de corrida e familiares espalharam votos de felicitações, enaltecendo suas qualidades como atleta e como pessoa, e afirmando que ele é mestre das pistas que transmite a todos pura energia e muita alegria.

Num cenário de muitas vitórias, Sebastião Caldas afirma que para ele o esporte é vida. “Se a gente parar a doença encosta”, declara o atleta, que aos 86 anos bateu seu recorde em sua 22ª participação na Corrida de São Silvestre, em São Paulo (SP), tendo participado no total de 26 edições da tradicional corrida paulistana.

O aniversariante Sebastião em clima de homenagem surpresa dos corredores macaenses

O atleta, que faz parte da equipe da Associação dos Corredores de Rua de Macaé (Ascom), conta que essa de 2016 foi uma das suas melhores provas, onde conseguiu um tempo recorde. “Foi uma honra estar no meio de mais de 39 mil pessoas. Foi um trajeto com um nível de dificuldade elevado, pois no trajeto havia cinco viadutos. Mas para mim foi tranquilo, consegui completar sem nenhum problema. Completei os 15 quilômetros em 2 horas e 41 minutos, um resultado muito bom”, contou ele.

Além da São Silvestre, Sebastião marca presença todos os anos nas principais competições do país. Ele já participou 12 vezes da Ultramaratona de Vitória (ES) e 11 vezes da Corrida da Pampulha, em Belo Horizonte (MG), da Corrida de São Sebastião, no Aterro do Flamengo, no Rio, entre tantas outras.

Para fazer bonito nas provas, além do cuidado com a alimentação, ele mantém um bom ritmo de treinos. Ao contrário da maioria dos atletas, que dedicam várias horas e dias, Sebastião conta que corre apenas uma vez por semana. “Minha preparação se faz geralmente durante as próprias competições”, relata.

A história entre o atleta e a corrida começou em 1986, quando precisou largar sua outra paixão, o futebol, para praticar uma atividade mais “leve”. “De lá para cá não parei mais e não largo por nada. É algo que me dá prazer”, explica ele que lembra até hoje a sua primeira competição. “Minha primeira corrida foi a do Forte Marechal, em 1986. Lembro dela como se fosse ontem. De lá para cá não parei mais”, completa ele, que foi um dos primeiros membros da Ascom.

E não é para menos, já que, em 34 anos de corrida, ele coleciona mais de 400 medalhas e 400 troféus. “Espero ter saúde para conquistar ainda mais. Cada premiação tem a sua história e valor”, relembra ele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here